sábado, 3 de março de 2012

FANFIC O Sabor Da Vida por @KellyStephanies - Capítulo 6

O Sabor Da Vida.

Conversas e Sorvete
POV BELLA:
Minha mente ainda nao conseguia acreditar no que quase havia acontecido a alguns minutos atras: Edward Cullen, o arrogante, lindo, maravilhoso, Edward Cullen quase me beijou. Meu Deus, isso nao pode estar acontecendo, nao é certo. Ele é lindo, sim, gostoso também, mas é o meu patrao, pai da Sophia, que insiste que eu seja sua nova mae. E também existe todos os meus problemas, todos os meus medos. Nao é justo com ele, iniciarmos uma relaçao e ele poder vim a sofrer no futuro, da mesma forma que eu vejo em seus olhos que ele ainda sofre por sua esposa. Eu nao posso permitir que ele sofra por minha causa. Eu nao posso permitir que ninguem sofra por minha causa
.Sinto que ele está me olhando, enquanto esta preparando o almoço e isso me deixa completamente constrangida. Será que ele está sentindo algo mais forte por mim, ou foi apenas um impulso ou sei lá o que? Droga, eu deveria conversar com ele, mas o que eu diria "Oi, nao te beijei na piscina porque eu te acho muito gostoso e nao quero que sofra por minha causa depois".
–Isa, toca piano para mim mais tarde?-Sophia perguntou, fazendo com que o olhar de Edward encontrasse o meu.
–Sim, querida, toco sim. Agora acho melhor trocarmos de roupa. Você nao quer ficar dodoi, nao é?
Ela fez que nao com a cabeça e subimos para o seu quarto, onde eu a ajudei a trocar de roupa, depois fiz o mesmo e me lembrei do meu remedio.
–Isa, o que é isso?Você ta dodoi?-ela me perguntou com uma expressao triste, que fez meu coraçao se apertar.
–Nao, amor, é que a tia Bella ta com dor de cabeça, é só isso.-menti.-Vamos que o seu papai já deve ter terminado o almoço.
Voltamos para a cozinha e Edward estava colcoando a comida na mesa, e deu um sorriso para mim, me deixando sem graça, servi Sophia e quando percebi, Edward havia me servido, e eu sorri em agradecimento. O silencio ali era constrangedor demais, até Sophia estava calada, que por um lado foi bom, pois eu estava com medo dela comentar sobre o fato de eu ter tomado remedio ou de dizer que eu estava dodoi, como ela mesmo diz.
–Isa, agora você toca para mim?-perguntou com uma carinha triste, o que me deixou preocupada.
–Claro, amor.-sorri.
Mais tarde quando estivermos a sós, eu irei perguntar o motivo de sua tristeza.
–Bella, será que eu tambem posso te ouvir tocar?-Edward perguntou, me deixando completamente surpresa, eu nao podia negar, afinal eu estava na casa dele, tocando o seu piano.
–Claro.-respondi, tentando disfarçar o meu incomodo.
Subimos e fomos para aquele quarto, cuja chave apenas Edward tem. Assim que entramos no quarto, onde Edward guarda o piano e as coisas de sua esposa, me posicionei na frente do piano e comecei a tocar, deixei ser levada por tudo que estava sentindo e toquei. Eu sinto algo por ele, mas nao faço a minima ideia do que seja, ou talvez eu saiba mas tenho medo de admitir para mim mesma. A melodia havia terminado e eu sai dali correndo, com certeza nenhum dos dois entenderam o por que da minha reaça. Edward talvez, faça alguma ideia.
Corri até o jardim, e me sentei e simplesmente chorei. Antes que eu me acostume com algo, minha vida já mudou o curso das coisas. Se eu nao tivesse vindo para Forks, eu nao estaria aqui hoje, chorando por nao saber quais sao os meus sentimentos por uma pessoa. A vida é feita de escolhas e por causa das minhas escolhas, estou aqui hoje, sem saber o que fazer.
–Bella, está tudo bem com você?-ele perguntou, sentando-se ao meu lado
.Enxuguei as minhas lagrimas, e fiz que sim com a cabeça.
–Nao precisa mentir.-ele segurou meu queixo, me fazendo olhar para ele.- Sente falta de casa?
–As vezes.-suspirei-As vezes eu me pergunto, como teria sido minha vida se eu nao estivesse escolhido vim para cá, eu meio que sei a resposta. Eu tenho medo.. medo de viver e mesmo assim, nao ter tempo suficiente para fazer tudo que eu sonho. Você deve estar me achando uma maluca-sorri sem graça.
–Nao, eu nao acho isso-ele sorriu, e acariciou a minha bochecha.-E eu posso saber um dos seus sonhos?
–Bom, um deles eu já realizei, que era viajar apenas com uma mochila nas costas pelo país e isso me trouxe para cá. O outro, pode parecer ridiculo, mas é cantar na frente de muitas pessoas uma musica que eu escrevi quando eu tinha 14 anos, o outro é conhecer a Australia, ser voluntaria nas missoes contra a fome na Africa. Agora é sua vez, me diga alguns dos seus sonhos.
Ele ficou triste de repente, parecia que eu havia remexido na maior ferida que ele tinha
.-Eu nao tenho sonhos Bella, desde que ela se foi.-ele desviou o olhar do meu rosto e passou a fitar o céu.- Todos os meus sonhos foram enterrados junto dela, uma parte de mim morreu no mesmo dia que a Kristen.
Ouvi aquilo fez com que eu sentisse uma vontade imensa de chorar. Ele tenta me beijar e agora fala dessa maneira da sua esposa? Ele continua amando-a da mesma maneira que antes.
–Mas e a parte que ainda vive, vai deixar que ela morra tambem?
–A parte que ainda vive, apenas tenta sobreviver, dia apos dia, tentando se acostumar com o que aconteceu
.-Nao seja fraco, você tem a vida toda pela frente. Você a ama, e deve ser a pior coisa do mundo perder a pessoa amada, mas pense, se ela estivesse viva e vocês tivessem se separado, ela ia querer que você continuasse vivendo, ia querer que você fosse feliz novamente
.-Mas eu nao sei se eu quero Bella, nao quero sofrer novamente.-seus olhos revelavam medo e dor, e eu sabia que se algo acontecesse entre nós, esse olhar ficaria estampado por muito mais tempo em seu rosto
.-Eu meio que te entendo,imagine um garoto que está aprendendo a andar de bicicleta, vamos chama-lo de Edward.-nós dois sorrimos.-Bom, Edward cai algumas vezes e se machuca, pensa em desistir de andar de biciceta, mas chega a conclusao que nao deixará vencer pelo medo, enquanto tiver forças tentaria andar de bicicleta. Até que um dia ele consegue, e vai brincar com as outras crianças. Entendeu o que eu quis dizer?
–Se Edward tivesse desistido no primeiro obstaculo, nunca teria aprendido e ainda viveria na solidao, cego por seu proprio medo
.-Exatamente.-baguncei seus cabelos
–Mas a vida nao é tao simples como andar de bicicleta.-ele disse, colocando uma mecha do meu cabelo, atras da minha orelha
.-Pode nao ser simples, mas nao é impossivel. O que eu quero dizer é que, viver nos causa medo porque é algo completamente desconhecido, nao sabemos se no proximo segundo que vier estaremos vivos ainda e nem se teremos forças para continuar após um tombo de bicicleta que ela mesmo nos proporciona. O que eu estou querendo te dizer, é que temos que enfrentar a vida sem medo do amanha, sem medo de cair, sem medo de sermos machucados e principalmente sem medo de morrer.
Ele me olhava espantado, mas ao mesmo tempo sorria
.-Agora eu entendo porque minha filha gosta tanto de você.-ele se levantou, e estendeu a mao para mim, a peguei e ele me ajudou a levantar.-Você é uma das pessoas mais sinceras e espontaneas que eu ja conheci em toda minha vida, você nao se preocupa com a opiniao das outras pessoas, pelo contario,se preocupa apenas com o que está aqui.-ele colocou a mao delicadamente sobre meu coraçao, e sorrimos.-Bella, Sophia te ama.
–Eu tambem a amo, nao tem como nao amá-la.Edward, desculpe a pergunta, mas foi impressao minha ou quase nos beijamos na piscina mais cedo?
Ele me olhou sem graça e fez que sim com a cabeça. E seguimos para o interior da casa novamente, e eu ainda mais confusa em relaçao ao que eu sinto ou nao sinto por ele.
–Acho que já está na hora de ir.-eu disse olhando para ele.-Vou me despedir da Sophia.-me virei para subir até o quarto da Sophia, mas ele segurou meu braço
.-Obrigado pela conversa que tivemos, me sinto mais aliviado depois de ouvir as suas palavras.
Eu sorri e subi as escadas indo ao encontro de Sophia.
–Isa, que bom que você voltou.-ela correu vindo me abraçar.-Por que você ficou triste Isa? Foi porque meu papai foi mal com você?
–Nao, meu amor, seu papai nao foi mal comigo, eu só fiquei com um pouco de saudade do meu papai e da minha mamae.
–E onde eles estao?
–Bem longe daqui.-sorri para ela e apertei a sua bochecha.-Amor, agora a Isa tem que ira tá?
–Já mas ainda tá cedo, queria que você ficasse mais. Eu gosto de ver meu papai olhando para você.Ele parece bobo.-ela sorriu.-Isa vamos tomar sorvete?
–Aqui tem sorvete?-perguntei
–Nao, a gente vai tomar lá na casa da vovó Esme e do vovô Carlisle.Eu quero ir lá Isa, agora.
–Vamos pedir ao seu papai.
Voltamos para o andar de baixo, e Edward estava ali lendo um livro, completamente distraido.
–Papai, quero tomar sorvete na casa do vovô e da vovó-Sophia sentou-se ao lado do pai.
–Agora?-ele olhou para mim.-Bella quer ir com a gente?
–É Isa você vai com a gente, ai meu papai continua olhando para você com cara de bobo.-eu nao consegui me segurar e dei uma gargalhada, fazendo com que Edward risse tambem.
–Ok, eu vou com vocês.-eu disse.Edward se levantou e pegou a chave do carro, e seguimos em direçao a casa da familia Cullen.
POV EDWARD:
Depois de muito tempo sem visitar meus pais, exatamente desde a morte de Kristen, eu estava indo levar a Sophia para tomar um sorvete com eles, isso porque toda vez que Emmett leva minha filha até lá, eles a entopem com sorvete. Fiquei um pouco afastado da minha familia depois do acidente, melhor dizendo, fiquei afastado de quase todas as pessoas, mas quem mais sofria com isso é minha mae, Esme, que sempre aparece no escritorio me convidando para um almoço de domingo com a familia toda reunida e eu nunca compareço. Haviamos chegado, Bella estava de maos dadas com Sophia, quando minha mae veio em nossa direçao.
–Edward é tao bom te ver meu filho.-nos abraçamos.
–Oi mae.
–Vovó-disse Sophia.
–Oi minha querida.-ela olhou para Bella e deu um lindo sorriso.-E você deve ser Bella, muito prazer, Esme.
–O prazer é todo meu Sra. Cullen.
–Nada disso, apenas Esme, nao sou tao velha assim para ser chamada de senhora.É tao bom ver vocês aqui, vamos entrar.
Bella estava um pouco timida, afinal é a primeira vez que ela conversa com minha mae,e daqui a pouco irá conhecer meu pai.Segurei sua mao e disse em seu ouvido
.-Nao precisa ficar com medo, eu estou aqui com você.
Ela sorriu e entramos, Alice estava na sala conversando com uma de suas amigas, acho que seu nome era Tania, era a mesma que havia ido em minha casa aquele dia
.-Edward, é tao bom te ver aqui.-disse Alice se jogando em meus braços
.-Também é bom te ver irmazinha, oi Tania.-disse apenas para ser educado.
–Oi Edward-ela sorria de uma maneira que me dava asco.
Como minha irmã podia estar andando com uma garota como essa tal de Tania?
–Oi Bella.-disse Alice, sorrindo para ela.
–Oi.-Bella respondeu timidamente.-Esme, Nikki está por aqui?
–Você conhece a Nikki?-minha mae perguntou surpresa
.-Sim, ela trabalhou para os meus pais durante muito tempo, praticamente me criou e agora que estou em Forks, estou hospedada na casa dela.
–Nikki realmente é uma excelente pessoa e Rosalie, uma garota de ouro.-ela sorriu ao falar da minha cunhadinha-Ela conseguiu fazer Emmett deixar de ser tao criança, ela era tao mais infantil antes de conhecê-la. Nikki está na cozinha, venha conigo
.-Posso ir com vocês?-perguntou minha filha.
–Tem sorvete de morango.-minha mae disse.
–Oba!!!
As tres foram para a cozinha, me deixando sozinho ali na sala. Alice havia subido para o seu quarto com a Tania. Decidi ir até o meu antigo quarto, e entrar nesse lugar me fez bem. Varias lembranças reapareceram em minha mente. Fui até o meu armario e peguei um album de fotos de quando eu e meu irmãos ainda eramos crianças. O sorriso em meu rosto revelava uma felicidade plena quisera eu saber naquela época, tudo o que eu viveria agora. Se eu soubesse o meu futuro quando eu era apenas uma criança, teria feito de tudo para evitar aquele dia.
As palavras que Bella me disse mais cedo, me fizeram refletir, ela tinha razao em tudo, e talvez Kristen quissesse que eu fosse feliz novamente sem a sua presença, mas como recomeçar e de onde tirar forças para isso?
–Você sente alguma coisa por ela?-minha mae estava sentado ao meu lado na cama.
–De quem você está falando mae?-perguntei confuso.
–Estou falando daquela jovem adorável que nesse exato momento está brincando e tomando sorvete com a sua filha em minha cozinha, sente algo por ela?
Eu sorri. Eu nao fazia a minima ideia do que Bella significava para mim e muito menos do que eu estava sentindo por ela. A única coisa que eu sei é que a cada dia que passa estou mais encantado por ela, pelo carinho que ela sente por Sophia e pelo modo que ela encara o mundo.
–Eu nao sei mae, mas Bella é uma garota incrivel.-admiti
–Seus olhos brilham quando fala ou olha para ela.-ela bagunçou meus cabelos.-Tente descobrir o que sente, e nao tente mentir para o seu coraçao, filho. Dessa forma apenas você se engana.
–Mãe, obrigado.
–Nao precisa me agradecer querido. Agradeça a ela por fazer você sorrir.
Nos abraçamos e meio que ela tinha razao: eu nao posso mentir para o meu coraçao. E se eu fizer isso há grandes chances de eu me machucar.
–Sophia a adora. Com Bella, Sophia deixou de ser aquela garotinha retraiada, e é muito bom ver um sorriso estampado no rosto da minha filha.
–E eu como mae, adoro ver um sorriso estampado no seu, querido.-ela beijou meu rosto.-Vamos descer, antes que o sorvete acabe.-sorrimos.
Bella e Sophia estavam na cozinha com Nikki, e Bella parecia uma criança com o rosto sujo de sorvete graças a minha filha.
–Ficou bem em você.-disse, com o objetivo de deixá-la sem graça e funcionou: suas bochechas coraram no mesmo momento.
–Obrigada.-ela pegou uma colher de sorvete e passou em meu nariz.-Tambem ficou otimo em você Sr.Cullen.
Me aproximei dela, fazendo com que nossos rostos ficassem a pouco centimetros de distancia, e limpei com minha lingua o sorvete que estava em sua bochecha, isso a fez arfar. e me fez sorrir internamente. Dessa vez ela nao saiu correndo como havia feito mais cedo na piscina, simplesmente sorriu para mim e acariciou o meu rosto.
–Acho melhor nao.-disse um pouco envergonhada.-Isso poderia deixar as coisas estranhas entre nós e isso nao seria legal.-ela sorriu
–Tudo bem.-beijei seu rosto, e me afastei dela-Deixou algum namorado em Nova York?
–Nao.-ela sorriu- Tem muito tempo que eu nao namoro.
Olhamos ao nosso redor, e todos haviam nos dado licença. Aposto que tem dedo da minha mae nisso. Aproveitei e peguei uma colher e comecei a tomar o sorvete do pote mesmo.
–Posso saber por que você nao namora?
–Nao sou boa com relacionamentos, eu espero demais das pessoas e sempre me frusto por isso.
–Tem medo de se apaixonar?
–Tenho medo de me apaixonar e nao ser correspondida.-admitiu-Nem sei porque estou te dizendo essas coisas, é estranho
.-Tudo é estranho Bella.
Ela me olhou e sorriu, fiz o mesmo, me perdendo na imensidao dos seus olhos que parecem mares de chocolates. E o que cerca a minha mente é: O que eu sinto por Isabella Swan?
–A Terra é o lugar mais estranho do planeta.-ela sorriu.
–Pretende ficar muito tempo em Forks?
–Nunca fico muito tempo em um lugar, fico apenas o tempo suficiente para me sentir em casa. Eu sou estranha, eu sei, mas se eu sentir que Forks é meu lugar, vou ficar por aqui mais tempo do que o normal.
–Isso é bom, Sophia e eu precisamos de você. Bella, o que acha de sairmos sabado a noite?
–Edward, você é o meu patrao. Acho melhor a nossa relaçao se resumir apenas nisso, apenas uma relaçao profissional, ok?
–Está demitida.-disse em tom serio, que a fez sorrir.
–Entao amanha mesmo irei voltar para Nova York. Acho melhor ir me despedir de Sophia.-ela continuava sorrindo.
–É bom ter você na vida da minha filha.
–Sou eu que tenho que dizer isso, é muito bom ter Sophia em minha vida.
Ela sorriu, e eu com certeza estava como um bobo olhando para ela.
Sempre que os capítulos tiverem vários comentários postaremos capítulos mais.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário