sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Trancada com meu Ginecologista.


Capitulo Único

Caminhei ao lado da minha mãe, pelo corredor branco, odiava as idas ao ginecologista.
 Por dois motivos.
 Primeiro minha medica se aposentou.
 E segundo meu medico novo era muito gostoso.
 Bem você não veria problema em ter um medico hot, tudo de bom e perfeito, e não devia ser. Mais era, pois sempre me sentia er excitada perto dele, e isso era vergonhoso.
 Minha mãe parou em frente à recepcionista, e ela sorriu ao nos ver.
 - Ola Bella.
 - Oi Kate.
 - Acabou de sair da escola. – ela perguntou notando meu uniforme sorri sem graça, a saia era muito curta, e eu estava sem calçinha.
 Nem me pergunte o por quê?
 Minha mãe e ela conversaram um pouco, até ele sair da sua sala em toda sua gloria e perfeição.
 O homem era perfeito, milimetricamente gostoso fato. O rosto quadrado feições angulosas, olhos dourados penetrantes, e tudo isso emoldurados por seus cabelos cor bronze levemente bagunçados.
 O homem era Hot.
 Ele sorriu para nos e pegou algumas fixas com Kate e voltou a entrar na sua sala, e que bunda linda ele tinha.
 - Bella vamos. – ouvi minha mãe me chamando e corri até ela, entramos na sala e sentamos de frente para o Dr. Cullen.
 - Bom dia, como estamos hoje?
 - Só visita de rotina doutor. – ele sorriu.
 - Muito bem vamos... – ele parou de falar quando o celular de minha mãe tocou.
 - Oh eu preciso atender. Bella eu esperarei lá fora.
 - Tudo bem.
 Assim que minha mãe saiu, eu me vi sozinha com Edward. Oh Deus, levantei o rosto para olhá-lo e ele me deu aquele sorriso calmo que sempre me dava.
 - Tudo bem Bella?
 - Sim. – apressei a dizer e ele se aproximou de mim.
 - Você parece nervosa?
 - Ah é que eu tenho umas duvidas.
 - Oh bem diga, ficarei feliz em esclarecê-las para você. – ele sentou na beirada da mesa, e eu fiquei em pé de frente para ele.
 - Bem... Er eu tenho sentido umas coisas. – ele arqueou uma sobrancelha confuso.
 - Que tipo de coisas?
 - Bem, é geralmente à noite, enquanto eu durmo.
 - Sim continue. – ele levantou da mesa e foi até sua cadeira atrás da mesa, e sentou. 
- Sim, bem eu tenho uns sonhos e quando eu acordo... – eu corei não acreditando que ia dizer isso.
 - Quando acorda? – eu corei mais ainda, eu não devia perguntar essas coisas, mais ele esta tão perto e minha mãe não vai entrar na próxima hora.
 Era minha chance, não podia desperdiçar o pior que pode acontecer é ele me rejeitar, e eu ter que trocar de ginecologista.
 - Bella pode me contar qualquer coisa. – ele voltou a falar vendo que eu continuei em silencio.
 - Eu posso mostrar em vez de falar? – falei corando mais e ele assentiu.
Aproximei-me dele, e recostei na beirada da mesa, ficando entre as pernas dele.
 Peguei sua mão, e o vi engolir em seco. Levei sua mão até por dentro de minha saia e o fiz tocar em minha intimidade, que pulsava estava quente e muito molhada.
 - Isabella? – ele me olhou atônito, mais não tirou sua mão.
 - Eu acordo assim, depois de sonhar com você. – falei baixo sem parar de olhá-lo, ele soltou um suspiro, e sem que eu esperasse senti seu dedo entrando em mim.
 Minhas pernas tremeram, e ele segurou minha cintura com a outra mão me mantendo firme, senti seu polegar rodear meu clitóris e gemi, sentindo ele me penetrar com outro dedo.
 - Era isso que você sonhava? – ele sussurrou rouco, eu mordi meu lábio para conter gemido.
 - Oh sim.
 - Eu brincando com suas dobras macias. – rolei meus olhos para fora das órbitas, e movi meu corpo de encontro a sua mão.
 - Oh Deus... – ele retirou os dedos e os lambeu, e ficou de pé, pressionando seu corpo no meu.
 OH Deus ele esta com uma ereção!
 - Ou você sonha com meu membro dentro de você? – ele sussurrou em meu ouvido e mordiscou o lóbulo.
 - Sim.
 - Aonde? Me conte seus sonhos. – ele desceu seus lábios para meu pescoço e lambeu minha pele.
 - Na sua mesa... eu curvada... Oh... enquanto... oh... – falei entre gemidos, e ele me pegou pela cintura e colocou sob a beirada da mesa, e o decote da minha blusa.
 - Oh eu consigo imaginar. – ele ronronou contra meu peito, e ouvi o barulho de sua calça abrindo, o som do tecido descendo pelo seu corpo, ele colou em mim e podia sentir seu membro pulsante na minha entrada.
 - Isso é como seu sonho? – ele perguntou me penetrando, só a cabeçinha. Agarrei seus ombros e gemi.
 - Oh é melhor.
 - Então acorda Bella.
 - O que?
 - Acorda Bella.
 - BELLA. – abri os olhos de repente e vi minha mãe me encarando.
 Merda outro sonho.
 - Já to levantando.
 - Ainda bem, achei que tinha morrido. – ela falou saindo do quarto, eu me levantei com minha calçinha totalmente encharcada. 
- Ah Bella, não esqueça que tem ginecologista hoje. – ela gritou enquanto descia as escadas. 
Droga é hoje! Não que eu não queira ir, mas justo hoje que tive um de meus melhores sonhos com ele? 
Depois desse sonho ficar com ele no mesmo recinto é a mesma coisa de ser um vampiro e estar ao lado de um humano sangrando. Uma grande tentação.
Levantei-me da cama irada, primeiro por que minha mãe me acordou na melhor parte de meu sonho, segundo que eu terei que agüentar ver aquele gostoso e me agüentar de excitação em seu consultório.
- Bella anda logo. Você ainda tem que comer. – gritou minha mãe do andar de baixo. 
- Vou tomar um banho e já desço. – gritei saindo correndo para o banheiro tomar um banho para ver se isso me ajudava há esfriar um pouco.
 Não demorei muito em baixo da água, eu nem tinha motivos. Afinal, ele não estava comigo ali. Às vezes me pergunto o por que de eu não ser tão atirada do que a Jéssica da minha sala. A garota é uma vaca de primeira, não se importa com nada e não tem medo de ir direto no assunto. Se me contarem que ela dormiu com o professor pra tirar nota eu não duvidaria, mas bem que eu poderia ter um pouco dessa coragem.
 - Isabella Marie Swan se você não sair desse banheiro agora eu lhe arranco a força. – gritou minha mãe da porta.
 Às vezes acho que ela algum tipo de problema. Ela é praticamente maníaca por limpeza e sempre gosta de chegar antes em seus compromissos.
 - Estou indo.
 Enrolei-me em uma toalha e sai de dentro do Box do banheiro. Enxuguei-me e fui para meu quarto pegar uma roupa para vestir.
 Minha mãe já não estava mais em meu quarto, deve ter ido terminar o café da manhã. Ela gosta das coisas impecáveis, eu já disse que ela é maníaca por limpeza? Se não, então nem queira saber.
 Peguei uma roupa qualquer no guarda roupa e desci para ir tomar café. Assim que cheguei à cozinha, a mesa já estava posta e minha mãe já estava comendo, junto com meu pai.
 - Finalmente desceu, pensei que tinha sido evaporada com a água. – minha mãe disse rindo, fazendo meu pai rir.
 - Desculpa. – pedi.
- Que nada filha, por isso que eu sempre te acordo cedo, por que você sempre se atrasa. – minha mãe poderia ser louca às vezes, mas eu a amo a sim mesma.
- Bom dia pirralha. – meu pai como sempre com essa mania de me chamar assim. Aff.
- Bom dia pai. – nem discuti, ele não a mudar de idéia mesmo.
- Agora se sente e coma, que daqui a pouco já estamos saindo. – ordenou minha mãe rindo da minha cara.
Comi em silêncio, lembrando-me de meu ultimo sonho com ele. Já me senti molhada novamente, só de lembrar daquele gostoso, enfiando seus dedos em mim e....
- Bella já comeu? Precisamos ir. – perguntou minha mãe olhando impaciente para mim. 
Olhei em meu prato e notei que não havia comido quase nada. Acabei não comendo nada, pois eu nem conseguiria mesmo. 
- Não estou com fome, vamos logo. 
Minha mãe correu para o quarto pegar sua bolsa, enquanto eu ia para o carro esperar-la. Logo já estávamos a caminho de seu consultório. 
A cada arvore que passava do lado de fora eu começava a ficar nervosa.  Mais por que eu estou tão nervosa com a consulta de hoje? – me perguntei. A reposta era simples. Eu ainda não me refiz do ultimo sonho. 
Como eu o encararia agora? 
- Bella querida. Chegamos. – chamou minha mãe. 
Olhei para fora e notei que realmente havíamos chegado. Desci do carro com minha mãe. 
Andei ao lado de minha mãe pelo corredor branco, que levava até o consultório de meu ginecologista. 
Como em meu sonho, minha mãe parou em frente à recepcionista, e ela sorriu ao nos ver. 
-Ola Bella, ola senhora Swan. 
-Oi Kate. 

- O Dr. Cullen está com uma paciente, logo ele já as atende. – Kate disse sorrindo.
 Minha mãe e ela conversaram um pouco, até ele sair da sua sala com uma garota pequena e uma mulher ao seu lado. 
Ele estava como sempre, lindo. Era o homem mais perfeito da fase da terra. O rosto quadrado feições angulosas, olhos dourados penetrantes, e tudo isso emoldurado por seus cabelos cor bronze levemente bagunçados.
Ele estava igual ao meu sonho. Hot!!!
 - Obrigado Dr. Edward. – a mulher disse sorrindo a ele.
 - De nada senhora Weber. Volte sempre que for preciso. – ele disse gentilmente a ela, com sua voz sexy.
 - Senhorita e senhora Swan, já podem entrar. - o Dr. Cullen entrou novamente na sala e minha mãe o seguiu, junto comigo atrás dele.
 Assim que coloquei meu primeiro pé dentro de seu consultório, as imagens do meu sonho, invadiram minha mente, me fazendo corar de vergonha na hora. Olhei para frente notei que o Dr olhava-me com um brilho no olhar.
 - Bella querida, não vai se sentar? – perguntou minha mãe, já sentada. Assenti para ela e corri me sentar, sem olhar para o Dr.
 - E então..... – Dr. Cullen começou a falar, mas foi interrompido pelo celular de minha mãe. 
Por alguma razão eu estava muito, mas muito nervosa. Desde que eu chegara aqui, tudo estava acontecendo quase da mesma forma que meu sonho.
Olhei para roupa que estava vestindo e notei que eu colocara uma blusa um pouco decotada e uma saia justa que eu tinha. Corei de vergonha na hora por ver minha roupa.
Eu nem havia notado que a vesti mais cedo.
- Claro senhor, já estou indo. – ouvi minha mãe dizer ao meu lado, o que me fez levantar a cabeça.
- Desculpe-me por atender o celular, era de meu trabalho...
- Não se preocupe senhora Swan eu entendo. – o Dr. disse com um sorriso estranho nos lábios.
- Filha, terei que sair, meu chefe precisa que eu vá ver uma coisa no trabalho, mas logo eu volto. Caso já tenha terminado a consulta, me espere do lado de fora, que eu já venho pegá-la. – minha disse já de pé ao meu lado.
Nada pude dizer, pois minha mãe já havia saído da sala, quando consegui entender o que isso significaria.
Voltei meu olhar para baixo e fiquei ali esperando que ele falasse comigo.
Ouvi sua cadeira se arrastando e engoli em seco, olhava para minhas próprias mãos, como se estivesse algo muito importante nelas.
Estremeci quando senti seus dedos frios tocando meu queixo e seus olhos dourados me encarando com um brilho que não soube decifrar.
- Algum problema Bella? – corei ao ouvi-lo dizer meu nome com a voz rouca.
- Nã - não. – neguei mordiscando meu lábio inferior e ele sorriu e passou o polegar pelo meu lábio e suspirei. Abaixei meus olhos para seu dedo.
- Não precisa ter vergonha. – levantei o rosto não entendendo o que ele queria dizer. 
- O que? 
- Vergonha de mim. – eu corei mais. 
- Eu não tenho. – falei baixinho e ele sorriu. 
- E duvidas? 
- Como? – arregalei os olhos e ele sorriu mais. 
- Duvidas sobre o seu corpo?Sobre as transformações em mulher. – corei violentamente. 
Se ele soubesse como eu já sou mulher. Ri nervosa relembrando o meu ultimo sonho e abaixei o olhar de novo, e fechei os olhos, mais os abri de repente ao sentir sua boca pressionar na minha. 
Levei alguns segundos para perceber que aquilo não era um sonho, que meu medico lindo, por quem eu tenha uma paixonite estava mesmo me beijando, mais quando ele sugou meu lábio inferior, eu gemi e entreabri os lábios recebendo sua língua. 
Ele a mergulhou em minha boca, provando meu gosto assim como eu sentia o dele. Os lábios macios se moldavam perfeitamente aos meus assim como sua língua ávida brincava com a minha. 
Suas mãos agarraram minha cintura puxando meu corpo de encontro ao dele, enquanto ele se levantava me puxando junto e minhas mãos se espalmaram em seu peito largo. 
Ele encaixou seu quadril no meu, e gemi quando sua dura ereção entrou em contato com meu corpo. Oh deus eu o estava deixando excitado. 
Ele se afastou de mim, os lábios inchados por conta do beijo. Respirei com dificuldade e o vi indo em direção a porta. Um medo se apossou de mim. Ele esta me deixando?
Soltei um suspiro de alivio ao ouvi-lo trancando a porta e quando ele veio em minha direção, mais ele passou direto por mim, indo para sua mesa e sentou em sua cadeira pegando o telefone e discando algum numero. 
Minha respiração parecia presa enquanto eu esperava ele falar, seus olhos de repente levantaram e me observaram cheio de promessas. 
- Kate, cancele minhas próximas consultas. Precisarei de mais tempo com a Srta. Swan. E aproveitei para ir tomar um café da manhã, já que não tomou, não precisarei de seus serviços por hora. – mordi o lábio, imaginando o porquê de ele precisar de mais tempo. 
Ele colocou o telefone de volta no gancho, e afastou um pouco sua cadeira, e me chamou com um dedo. 
- Srta. Swan, venha aqui. – eu fui rapidamente até ele, e ele me puxou pela cintura me colocando entre suas pernas e me encostando-se a sua mesa. 
- Então, você não tinha algumas duvidas? – ele perguntou passando suas mãos por minhas coxas e gemi baixinho, meu rosto extremamente quente. Na verdade meu corpo todo extremamente quente. 
- Bem, sim... Eu... – eu estava meio nervosa e ele sorriu suas mãos, subindo um pouco mais por minhas coxas e entrando embaixo de minha saia, tremi quando ele tocou minha calçinha, brincando com as extremidades. 
- Já disse linda, não tenha vergonha. – eu corei. 
- É difícil. – ele riu, e passou um dedo por meu centro ainda sobre a calçinha e senti meu corpo todo tremer. 
- Bem, talvez você queira me mostrar. – arregalei os olhos. Engoli em seco.
 - Acho que posso fazer isso. – ele sorriu, e segurou na ponta da minha calçinha e começou a empurrá-la para baixo. 
- Não precisamos disso não é? – eu assenti e levantei as pernas o ajudando a retirá-la completamente. 
Ele segurou minha cintura e me ajudou a sentar em sua mesa, e abriu minhas pernas, tremi e ele sorriu trazendo sua cadeira para mais perto de mim, suas mãos corriam pelo interior das minhas coxas e gemi baixinho, mordiscando meu lábio inferior. 
- Você gosta disso Bella? – ele perguntou, enquanto suas mãos cada vez, mais se aproximavam da minha intimidade, e cenas do meu sonho voltaram a minha mente.
- Oh sim. – eu suspirei e ele sorriu torto. 
- Bem linda, pois eu estava ansioso por tocá-la. – eu gemi quando ele passou um dedo pela minha entrada. 
- Mesmo? – ele sorriu safado. 
- Oh sim, queria muito sentir se você ficava molhada por mim. – ofeguei quando ele deslizou um dedo para dentro de mim. 
- Oh. 
- Muito molhada. – ele sussurrou e deslizou outro, meu corpo todo tremeu. 
- Doutor... – ele se aproximou mais de mim, e retirou os dedos os lambendo. 
- Me chame de Edward. – eu assenti, mais engasguei quando ele abaixou o rosto para baixo e lambeu minha intimidade, e me corpo todo tremeu. 
- Edward... – eu gritei em surpresa e senti sua língua deslizando dentro de mim, meu corpo todo tremia a cada investida de sua língua em minha intimidade. 
Ele sugava e lambia, e seus dedos ainda deslizando para dentro de mim, me levando ao ápice do prazer. Senti todo meu corpo mole, e cai para trás derrubando varias coisas no chão. 
- Você sabe o que foi isso linda? – ele perguntou e levantei a cabeça e o vi lambendo os lábios, e corei. 
- Um orgasmo. – falei baixinho, e ele sorriu e passou um dedo em mim. 
- Muito bem. Mais eu sei que a sua curiosidade não acaba ai. – eu corei muito mais. 
- Oh. – ele riu e se levantou e começou a desabotoar a sua camisa, me apoiei em meus cotovelos para ver melhor e mordi meu lábio vento seu peito nu. 
Ele sorriu malicioso e me chamou com o dedo. Levantei rápido meio tremula ainda e fui até ele. 
- Me ajude com as calças. – assenti rapidamente e me concentrei em desabotoar suas calças e retirar seu cinto. Eu podia ver o volume sob suas calças e isso me fez ficar muito nervosa. 
Assim que eu terminei, suas calças caíram com um baque surdo no chão, e segurei as beiradas de sua boxer preta e a puxei para baixo devagar. 
Seu membro, grande e groso pulou para fora me fazendo engasgar. Ele era realmente muito grande e isso me fez imaginar se caberia em mim. 
- Com certeza vai linda. – ele falou sorrindo e levantei o rosto para encara-lo, e ele sorria malicioso. – Me toque. – ele ordenou, e corei enquanto segurava seu membro em minha mão.

Fechei minha mão em seu comprimento, e o ouvi gemer baixinho, sorri e comecei a mover minha mão, levantei a cabeça e o vi com a cabeça levantada, os lábios em uma linha. Voltei a olhar seu membro e sem me conter beijei a ponta. 
- Merda. – ele ofegou, e sorri o levando em minha boca, ele praguejou de novo e gemeu, enquanto eu o sugava e lambia, o provando, e ele era delicioso.
 Ouvi um rosnado sair dele e seus braços me puxaram para cima, e ele me sentou na beirada da mesa, seus olhos negros de desejo. 



Reações:

1 comentários:

Nossa ,que imaginaçao de quem inventou essa fic ,rs ficou bem perva #OMG ,gostei

Postar um comentário