sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

One-Short - INFIDELIDADE



Primeira parte
Edward POV
Ainda deitado na cama, os braços atras da cabeça, olhando para o teto. A agonia em meu peito era quase palpável. Eu sentia o fim se aproximando e não sabia ao certo se isso era bom ou ruim. Sinceramente eu nem me reconhecia. Eu não fui criado assim. Não fui criado para trair. Fui criado para me casar, amar e principalmente respeitar a minha mulher. Entretanto não foi bem assim que as coisas aconteceram.
Agora eu me perguntava onde e quando foi que me perdi? Eu não gostava dessa situação de forma alguma. Voltar para casa quase de manhã apenas para dizer que acordei ao lado da minha esposa, quando na verdade eu passei as últimas horas ao lado da minha amante.
Eu simplesmente não conseguia... não conseguia ficar longe daquela mulher que era puro fogo... me incendiava... me queimava e me deixava louco.
Logicamente quando chegava em casa eu não tocava o corpo da minha esposa. Ha tempos eu não fazia isso. Óbvio que ela sabia da minha traição, mas aceitava calada. Mas eu via a mágoa em seus olhos diariamente. Mas agora era chegada a hora da decisão. Chega dessa vida.
Sabia que eu sairia desse casamento sem direito a nada, já que ainda não havíamos completado dois anos de casados. Isso fazia parte do nosso acordo pre nupcial.
E agora eu me via pensando... será que o dinheiro era mesmo tão importante pra mim, a ponto de me deixar preso a esse casamento? Claro que com o matrimônio eu conheci um outro lado da vida: roupas caras, festas, bebidas, meu carro...
Mas e dai? Eu consegui ser feliz? A resposta veio rápida demais: Não.
Sempre levei uma vida simples. Minha filha família era humilde, mas o amor que reinava entre nós era o alicerce de tudo. Meu pai trabalhava demais, tinha um bom salario como chefe de um restaurante luxuoso. Mas isso ainda não era o bastante. Éramos três filhos: eu, Emmett e Alice. Minha mãe ficava em casa, às vezes costurava pra fora. Lembro-me muito bem de nós quatro reunidos à mesa. Digo quatro porque meu pai quase nunca estava presente, já que ralava feito um escravo. O pão do café da manhã era metodicamente cortado para que não faltasse para nenhum de nós, assim como o bife do almoço. Não tínhamos roupas caras e de marca. Nossa mãe era quem costurava, mas era tão bem feito que ninguém jamais diria que foi feito por uma simples dona de casa.
Nossos presentes de natal eram os mais simples possível, mas eram dados com tanto amor que isso pra nós bastava. Ai alguns podem se perguntar: mas seu pai não tem um bom salário? Eu repito que sim. Mas passávamos por certos perrengues por um único motivo: a escola. Meu pai fazia questão de nos oferecer o melhor em matéria de educação. Como ele dizia: estava investindo em nós para que pudéssemos dar aos nossos filhos tudo o que ele não podia nos dar. Mal sabia ele que já tínhamos tudo: amor.
E era esse o motivo de minha inquietação: cacete... o dinheiro não era importante pra mim. Era hora de dar um pé nesse casamento e ir viver minha paixão. Eu iria concluir meu último semestre na faculdade de direito. Acabei perdendo dois semestres por causa desse casamento e das minhas peripécias com minha amante. Mas agora... basta.
Sentei-me na cama sem coragem de olhar para a mulher adormecida ao meu lado. Mas o fiz.... e me assustei ao ver seus olhos chocolate me olhando com tristeza.
-Acabou não é?
Engoli em seco.
-Bella... precisamos conversar.
Ela se sentou, puxando o lençol para ocultar o corpo perfeito que a fina camisola rendada não ocultava. Juntou as pernas próximas ao peito enquanto duas lágrimas rolavam pela face de porcelana. Bella era linda... a pele clara, sedosa... os longos cabelos castanhos que me enfeitiçaram desde a primeira vez em que a vi. Eu era um vagabundo por fazê-la chorar agora. Odiei-me por isso.
-Eu...
-Não Edward... por favor, não peça desculpas. Se tem uma culpada nessa história sou eu.
-Não, claro que não. Deixe-me falar, por favor.
-Não. Eu é que me iludi, pensando que poderia ter você... que poderia prendê-lo pra sempre ao meu lado. Eu te amo Edward... te amo como nunca amei ninguém em toda minha vida. É o homem mais lindo que já conheci. Eu vou sofrer... e muito.... mas eu não posso mais continuar assim. Não da mais.
-Bella...eu posso falar?
-Está na hora de ir para o trabalho Edward. Quando você voltar iremos terminar essa conversa... iremos terminar tudo na verdade.
Outras lágrimas desceram pelo seu rosto e quase em desespero eu a abracei forte, chorando também. Como não percebi que estava magoando todos e tão intensamente? Mas Bella tinha razão... eu precisava ir trabalhar. Afinal ainda era um simples estagiário na empresa  do meu sogro.
Merda... vinte e dois anos... prestes a me divorciar... sem um futuro ainda garantido. Entrei no banho ouvindo o choro sofrido de Bella. Balancei a cabeça, tentando esfriar meus pensamentos para colocar cada palavra , cada frase a ser dita de uma forma a tornar tudo aquilo menos doloroso. Se é que tinha como fazer isso.
********
A manhã se arrastou até que finalmente chegou a hora do almoço. Engraçado como minha família era unida. Parecia que nos comunicávamos através de pensamentos. Eu não estava bem. Estava péssimo pra ser sincero. Como se adivinhassem, Emmett e Alice me ligaram. Iríamos almoçar juntos. Nossa família agora estava bem de vida, por assim dizer. Alice estava casada com Jasper há um ano e era dona de uma frequentada boutique no coração de Manhattan. Emmett abriu uma academia com sua esposa Rosalie. Meus pais cada vez mais apaixonados e cúmplices moravam na mesma casa de sempre, mas que passou por várias melhorias. Enfim... só eu fiz da minha vida uma merda. Nunca tive coragem de dizer aos meus pais o que se passava comigo. Eles ficariam decepcionados, afinal não fui criado assim. Mas Emmett e Alice sabiam. Eu não consegui segurar isso dentro de mim e acabei contando.
Ja sentado à mesa do restaurante, eu observava os dois se aproximando. Emmett muito alto e forte e Alice baixinha  e frágil. Eu amava demais aqueles dois e sabiam o quanto estavam preocupados comigo.
-E ai mano?
Eu me levantei para dar um abraço forte em Emmett e outro em Alice, beijando sua cabeça.
-Como está Emmett? E Rose?
-Tudo bem. Rose também... chateada por você não ter aparecido no final de semana.
-Ah... sinto muito. Eu tive que... que...
-Ah tudo bem. Nós sabemos o que estava fazendo.
-E você baixinha?
-Trabalhando demais. Estou exausta. E muito preocupada com você.
Sorri.
-Por que será?
Ela revirou os olhos e nos sentamos. Enquanto aguardávamos o pedido eu fiquei de cabeça baixo, brincando com o guardanapo.
-Edward? Não vai dizer nada?
Suspirei.
-Não dá mais Alice. Eu nem sei como consegui deixar essa situação chegar até aqui.
-Eu também não. Você não é assim. Não fomos criados assim.
Emmett inclinou o tronco aproximando-se mais de mim.
-Sabe... no começo, quando você me contou, eu pensei que fosse apenas um escorregão, uma foda sem importância. Mas você prosseguiu...deveria ter fugido enquanto era tempo.
-Não iria adiantar. Acho que me apaixonei logo de cara.
-Então irá pedir o divórcio?
-É o correto Alice. Eu estou fazendo todos sofrerem.
-Ja pensou nas consequências?
-Dinheiro Emmett... nada mais que isso. Nós vivemos boa parte da nossa vida sem ele, sem regalias. E fomos felizes. Por que deveria ser diferente agora? Eu terei uma profissão, caramba. Sei que sou bom. Além de ficar com a mulher que realmente quero...estarei conseguindo as coisas com meu próprio esforço.
-Sabe que amamos você Edward. Mas eu não posso dar conselho. A única coisa que posso dizer é que eu e Jasper estaremos sempre aqui para apoiá-lo.
-Obrigado Alice.
-Eu e Rose também. Só tenha cabeça fria para não se magoarem tanto... se é que é possível a essa altura.
-Fique tranquilo Emmett. Eu não quero machucar ninguém.
Não queria mas fazia. Não era isso que vinha acontecendo há quase dois anos? Deus... com seis meses de casado eu já estava traindo! Eu não prestava, essa era a grande realidade.
Por fim mudamos de assunto e o almoço transcorreu perfeito, como sempre acontecia quando estávamos reunidos. Combinamos de nos encontrar no próximo final de semana e dessa vez eu não iria furar.
Despedimo-nos à porta do restaurante e cada qual seguiu seu caminho. Voltei a pé para o escritório que ficava a poucas quadras dali. Felizmente meu sogro estava viajando, assim eu não teria que confrontá-lo. Não que eu estivesse com medo, eu só não estava com cabeça para mais essa conversa. Não hoje.
-Senhor Cullen...deixei alguns papeis sobre sua mesa para que possa analisar.
-Obrigado Tânia. Algum recado?
-Apenas sua esposa ligou avisando que iria chegar um pouco mais tarde pois tinha consulta marcada.
-Tudo bem. Ela deve ter ligado no celular, mas eu o esqueci aqui.
Entrei para minha sala e me fechei ali por horas, analisando os malditos papéis, mas nem assim deixando de pensar no que eu iria fazer dentro de poucas horas.
Fiquei tão entretido com os documentos que o toque do telefone horas mais tarde me fez pular na cadeira. Olhei o visor e sorri ao ver o número da minha mãe.
-Boa tarde mãe mais linda do mundo.
-Boa tarde filho mais falso do mundo.
Eu gargalhei esticando meu corpo na cadeira.
-Está tudo bem por ai?
-Claro que sim. Exceto pelo filho que não vejo há tempos.
-Mãe.... deixe de ser exagerada. Cinco dias apenas.
-Pra quem vinha me ver todos os dias é muito tempo Edward. Você está com algum problema?
Tive vontade de dizer: todos os problemas do mundo, mas preferi não dizer nada.
-So ando trabalhando demais.
-Por que não vem jantar conosco hoje?
-Hoje não dá. Tenho um assunto importante a resolver.
-Hum... por que será que imagino que eu não sei de alguma coisa?
Era nisso que dava sermos tão unidos. Sentíamos que o outro não estava bem mesmo com um simples telefonema.
-Mãe... eu preciso resolver as coisas primeiro. E depois,óbvio, irei conversar com vocês.
-Filho... se já la o que for que esteja acontecendo... saiba ponderar as coisas. Nem sempre agir com o coração é o mais acertado. Da mesma forma ser racional demais pode fazê-lo sofrer. Tudo o que for fazer... pense: no que foi, no que é, no que poderia ter sido... e principalmente no que será. Tudo que fizer trará consequências, umas boas, outras nem tanto. O importante é que você seja feliz.
-Obrigado mãe. Não sabe como é bom ouvir isso.
-Nós te amos muito filho.
-Eu também amo vocês.
Assim que desliguei eu deitei a cabeça sobre a mesa, exausto psicologicamente. As palavras da minha mãe ricocheteavam em minha mente: o que foi...o que poderia ter sido...Minha cabeça estava confusa. Eu sei que amei minha esposa um dia, eu não me casei por interesse de forma alguma. Por que trai então? A razão era apenas uma: assim que bati os olhos naquela mulher... eu fui transportado para um outro mundo... não havia mais retorno. Eu não tinha mais saída.
Levantei-me, guardei os papéis e comecei a digitar minha carta de demissão. Eu sei que era isso que meu poderoso sogro faria quando soubesse do meu pedido de divórcio.
Assim que terminei eu desliguei tudo, fechei minha sala, preparando-me para uma longa conversa.
-Ja vai senhor Cullen?
-Sim Tânia. Tenho assuntos importantes a tratar. Se precisar dos papeis estão na primeira gaveta.
-Sim senhor. Até amanhã então.
-Até amanhã.
Tentei dirigir o mais lento possível, mas assim que parei o carro em frente ao portão de entrada, eu percebi como minhas mãos tremiam. Mas não fui eu mesmo que procurei por isso? Agora era enfrentar a situação como homem.
Desci do carro e entrei, mas assim que abri a porta da sala já vi Bella sentada no sofá, as pernas sobre ele, encolhidas junto ao peito.
-Oi. Chegou cedo.
-Você também.
Fiquei um tempo parado, as chaves do carro na mão olhando para o rosto inchado de Bella. Droga... ela tinha chorado de novo. Aproximei-me dela e ajoelhei à sua frente, tirando uma mecha de cabelo que escapou do rabo de cavalo e caía em seu rosto.
-Bella...
-Por favor Edward. Não diga: Foi bom enquanto durou. Eu não iria suportar isso.
-Pare de colocar palavras na minha boca.
-Eu sempre soube que não iria dar certo. Eu...
Um soluço escapou pelos seus lábios no instante em que lágrimas escorreram pelo seu rosto.
-Eu não queria que acabasse. Não estou te chantageando... longe disso. É só que... Deus... eu te amo tanto.
Segurei seu rosto, olhando desesperado em seus olhos.
-Amor... pelo amor de Deus... deixe-me falar. Não me julgue sem antes ouvir o que tenho a dizer... por favor.
Ela assentiu e limpou as lágrimas, me encarando. Ainda com o rosto manchado pelas lágrimas era linda... e eu amava. Nem havia como negar.

Bella POV

Eu andava de um lado a outro, nervosa, as pernas doendo devido ao nervosismo. O que eu iria fazer? Eu não iria suportar viver longe dele. Que merda... por que ele teve que romper todas as barreiras e me fazer amá-lo com loucura? Desde quando minha mãe abandonou meu pai, deixando-o à beira do desespero eu jurei que nunca iria me apaixonar.
Mas então aconteceu Edward... e virou meu mundo de pernas para o ar. Eu vivia Edward... respirava Edward.
Estava quebrando minhas regras, agindo contrário a tudo o que meu pai me ensinou. Céus... eu não vi meu pai sofrendo por causa de uma traição? E agora o que eu fazia? Estava aceitando viver uma mentira, aceitando uma traição como se fosse uma coisa normal.
Essa não era eu.
A verdadeira Isabella Swan era honesta, respeitadora, batalhadora. Estudei com afinco para me formar com louvor há ano e hoje trabalhava como produtora de eventos. Não que eu precisasse trabalhar, meu pai era muito bem de vida. Mas eu gostava... amava meu trabalho e era muito requisitada. Havia até mesmo lista de clientes. Podia demorar o tempo que fosse, desde que o serviço fosse feito por mim.
Entretanto nem meu trabalho vinha me dando tanto prazer quanto desfrutar da companhia de Edward. Seu cheiro... seu gosto... tudo nele me viciava.
Apesar de tudo eu pensei que seria feliz com ele. Gradativamente as coisas foram mudando. Muitas vezes eu tive quase a certeza de que ele me amava... outras vezes não. Vivia um eterno conflito... um medo enorme de ouvi-lo dizer que não dava mais para continuar.
Pior de tudo era ver que ele também não estava confortável com essa situação. Apesar da traição... Edward não era má pessoa. E sofria com isso também.
Por isso não pude conter meu choro quando nessa manhã eu tomei a decisão. Teríamos que conversar antes que acabássemos nos magoando.
Disse a verdade a ele, não poderia mentir jamais: eu o amava com todas as minhas forças. Nem mesmo permiti que ele falasse... tinha medo do que iria ouvir. Talvez ele pensasse que minha declaração de amor tenha sido uma forma de prendê-lo a mim... sei la... já nem sabia mais o que pensar.
Só pensava em nossa conversa à noite. Não consegui fazer nada, não consegui trabalhar com o mesmo prazer de sempre. Dois anos praticamente... e agora talvez fosse o fim.
-Bella está tudo bem? Está tão estranha...
-Não estou me sentindo muito bem Ângela... será que você poderia segurar as pontas aqui? Acho que vou pra casa.
-Bella... sobre aquilo que conversamos...
Ângela era minha melhor amiga e confidente, além do meu pai. Entretanto pra ele eu não tive coragem de dizer tudo o que me acontecia no campo sentimental. Ele não precisava sofrer comigo.
-Ja resolvi Ângela... não da mais pra ficar assim... sem saber o que será o amanhã.
-Você está certa Bella. Isso não quer dizer que esteja colocando-o contra a parede, mas... caramba... você é uma mulher espetacular. Merece viver o amor em toda sua plenitude e não apenas momentos.
-Vamos ver no que dará... eu preciso ir agora.
-Sabe que pode contar comigo não é?
-Obrigada por ser essa amiga maravilhosa Angie.
-Não há o que agradecer. Eu te amo desde sempre, sabe disso.
-Eu também.
Merda... nem isso...nem a amizade sincera de Ângela aliviou meu coração. Cheguei em casa e corri para o banho, como se isso ajudasse a acalmar meus nervos. Nada. Parece que fiquei pior. Chorei até a exaustão . Ganhei apenas uma dor de cabeça e os olhos inchados.
Andei de um lado a outro, depois sentei-me no sofá, encolhendo as pernas junto ao peito.
Não se passaram nem dez minutos e ouvi a porta sendo aberta. Meu coração disparou no peito ao olhar o homem perfeito parado a minha frente. Deus... como ele era lindo...alto, pele clara e aqueles cabelos sempre despenteados que eu adorava. Sem contar aqueles olhos que pareciam querer enxergar minha alma.
-Oi. Chegou cedo.
-Você também.
Ele ficou parado, depois se ajoelhou à minha frente tirando uma mecha de cabelos dos meu rosto.
-Bella...
-Por favor Edward. Não diga: Foi bom enquanto durou. Eu não iria suportar isso.
-Pare de colocar palavras na minha boca.
-Eu sempre soube que não iria dar certo. Eu...
Merda. Comecei a chorar novamente. Por que eu era tão fraca quando o assunto era ele?
-Eu não queria que acabasse. Não estou te chantageando... longe disso. É só que... Deus... eu te amo tanto.
Ele segurou meu rosto quase em desespero.
-Amor... pelo amor de Deus... deixe-me falar. Não me julgue sem antes ouvir o que tenho a dizer... por favor.
Assenti, limpando minhas lágrimas. Ele estava certo. Eu não o deixei falar nem uma vez.
-Bella... eu... caramba...eu também não me sinto bem com essa situação. A última coisa que queria na vida era ver você sofrer. Mas sinceramente...eu não estou entendendo esse seu desespero.
-Como não? Eu...
-Shhh... eu falo. Eu fiquei louco desde a primeira vez que te vi naquela festa. Eu sai de mim, a partir dai era só você em minha vida. Errei... errei muito. Comigo... com você.... com todos. Mas eu quero corrigir isso.
-Eu sei. Não da mais para continuarmos juntos.
-Que loucura é essa?
Ele arregalou os olhos e chegou a apertar a minha mão com força.
-Não é isso que vem tentando me dizer?
-Por Deus... não... Bella... eu não quero uma amante.
Mais lágrimas escorreram pelo meu rosto e engoli em seco.
-Entendo. Nem eu quero se....
-Psiu... não sabe ficar calada? Amor... eu sempre voltei pra casa... para pelo menos acordar ao lado da minha esposa. Sei que é ridículo mas amenizava um pouco a culpa.  Mas... essa noite passada... eu não fui. Fiquei aqui, dormi com você, acordei ao seu lado... simplesmente porque não consigo mais me afastar. Ficou mais do que claro que não quero uma amante. Quero uma esposa, mas tem que ser a mulher que amo. Tem que ser você Bella.
Eu explodi num choro, agarrando-me ao pescoço dele.
-você... você... está querendo... você me ama?
-Você ainda duvida do meu amor?
-Mas... mas você nunca disse.
Ele se afastou para me olhar novamente.
-Palavras... palavras... será que elas são mais importantes do que o sentimento? Será que nunca mostrei o quanto eu te quero em minha vida? Tudo bem que fui um burro, arrastando essa situação. Mas agora não irei mais.
Ele falava olhando fundo em meus olhos. Burra... estúpida... cretina. Como não enxerguei seu amor por mim estampado ali?
-Como assim?
-Eu amo você Bella. Mais do que tudo nesse mundo. Por isso mesmo irei sair daqui agora... irei para casa e pedirei o divórcio à Victória.
Eu me joguei sobre ele novamente, beijando seu rosto e depois sua boca. Seu corpo foi ao chão e cai por cima dele ainda beijando-o apaixonadamente.
-Eu irei... mas antes eu preciso amar você, sua maluca.
Eu sorri, transbordando de felicidade. Deixaria de ser amante, a outra... para me tornar definitivamente esposa do homem da minha vida.

 Segunda Parte

Edward POV

Mesmo estando vivendo a melhor fase da minha vida, às vezes eu não conseguia me desvencilhar de certos pensamentos, lembranças agradáveis, outras nem tanto. Uma delas sem dúvida era a lembrança do momento da minha liberdade. Sim, era assim que eu via meu divórcio. Livre para viver meu amor por Bella.

Flashback on
Sentado na beirada da cama, passei as mãos pelos cabelos, balançando a cabeça desconsolado. No chão, vários cacos espelhados, resultantes dos inúmeros vaso que Victória atirou em minha direção antes de se enfiar no banheiro. Não a recriminava, definitivamente. Afinal, além de já saber da minha traição pelo segundo dia seguido eu dormi fora de casa. Foi inevitável, como sempre mais forte que eu. Logo depois de me declarar pra Bella eu a amei com paixão, quase com loucura. Uma vez não foi suficiente para celebrar esse momento perfeito. Momento em que finalmente tive coragem de dizer que a amava e que era com ela que queria ficar. O resultado: mais uma noite adormecido ao lado de Bella.
E ainda assim foi difícil me afastar dela assim que o dia amanheceu. Estava explodindo de felicidade. Trabalhei bem humorado durante todo o dia. Mas bastou chegar em casa para isso ser substituído pela tensão. Victória me olhou furiosa e assim que disse que precisaríamos conversar ela começou a gritar, atirando tudo o que via em minha direção.
Céus... sabia que seria difícil, mas sinceramente não esperava por essa fúria. Victória sempre foi calma, tranquila. Fiquei surpreso. So me restou esperar até que saísse do banheiro.
Meu olhar vagou pelo quarto que eu pouco frequentava. Foi inevitável me recordar da primeira vez em que deixei de me deitar ao lado de Victória... tudo porque tinha acabado de sair de outra cama.

Levantei-me disposto a tomar uma água ou qualquer coisa forte que me ajudasse nesse momento. No entanto mal cheguei perto da porta e ouvi a porta do banheiro ser aberta com violência. Virei-me para encontrar uma Victória ainda transtornada. Seus olhos estavam vermelhos e me fuzilavam enquanto se aproximava de mim já aos gritos.
-NÃO PENSE QUE IREI ACEITAR ISSO, EDWARD. ACHA QUE FOI FÁCIL PRA MIM AGUENTAR ESSE TEMPO TODO?
-Não precisa gritar Victória. Vamos conversar civilizadamente.
-CIVILIZADAMENTE? VOCÊ FEZ ISSO ENQUANTO SE ENFIAVA NUMA MULHERZINHA QUALQUER? VOCÊ TEVE CORAGEM DE ME ENFRENTAR E DIZER A VERDADE?
Procurei ignorar o fato de ter chamado Bella de mulherzinha e tentei me controlar.
-Estou dizendo a verdade agora. Antes tarde do que nunca. E eu sei que não foi fácil pra você. Não pense que estou feliz por ter feito isso. Eu apenas... não soube lidar com isso.
-NÃO SEJA CÍNICO EDWARD. PULAR NA CAMA DELA TODO DIA VOCÊ CONSEGUIA NÃO É?
Seu olhar se estreitou e ela baixou o tom de voz.
-Sabe... eu sempre tive curiosidade de saber quem era essa mulher. Poderia ter ido atras de você e descoberto, mas sabe por que não fui?
Não respondi, apenas fiquei encarando-a.
-Porque vocês homens sempre escolhem alguém pior do que tem em casa. E sabe o que acontece depois? Voltam com o rabo entre as pernas.
-Estou há quase dois anos com ela Victória... apenas seis meses de diferença do nosso casamento. Acha mesmo que meu caso com ela é passageiro? Eu me apaixonei... eu a amo.
-Ama merda nenhuma, Edward. Você sente tesão. Você ama mesmo é dinheiro. Agora me responde... como vai se virar sem grana, sem o luxo que você está acostumado hã?
Esqueceu que você não irá levar nada se nos divorciamos?
Suspirei.
-Não Victória... não me esqueci.
-Então é melhor parar com essa palhaçada de divórcio. E mais...eu não vou mais aceitar ser a corna dessa relação e...
-Hei...
Eu a interrompi. Agora eu via perfeitamente a mulher com a qual me casei. E pior... percebi que ela nunca me conheceu de verdade. Ela não sabia que eu sempre me orgulhei da minha origem... e não me importaria se voltasse pra la... desde que Bella estivesse comigo.
-Você não será mais a “corna”, como você diz. Simplesmente porque eu estou me lixando pra essa porcaria de dinheiro e de luxo dessa casa. Estou me fodendo se sair de mãos abanando.
Olhei bem em seus olhos e balancei a cabeça.
-Quem está ganhando nessa história sou eu.
Num acesso de fúria ela lançou seu corpo sobre o meu, esmurrando meu peito, rasgando minha camisa, a unha comprida rasgando minha carne.
-Pois então você não irá levar nada.... nada mesmo. Nem suas roupas. Sairá daqui com essa... essa roupa rasgada mostrando realmente o lixo que você é.
Aquelas palavras feriram, machucaram profundamente. Mas eu ainda tinha meu orgulho. E foi isso que me fez segurar sua bochecha com força, afastando-a de mim.
-Lixo eu me tornei quando me casei com você. Agora sim eu volto a ser gente.
Empurrei-a com força, seu corpo caindo de qualquer maneira na cama. E fiz o que ela disse. Sai daquela casa sem levar nada. O que eu levava dentro de mim bastava.
Flashback of
Arrependimento? N h havia. Exceto o de n ter tomado aquela atitude antes. N sinto raiva de Victia, muito pelo contrio. Eu a magoei demais. Foi uma luta conseguir o divcio. Travei uma verdadeira batalha. Logicamente meu sogro n quis saber de mim na empresa. As fofocas sobre minha traio alastraram-se feito erva daninha. Mas segui de cabe erguida. Com a ajuda de Alice e da prria Bella eu continuei meus estudos. Confesso que Bella e eu tivemos que ter uma conversa seria. Depender financeiramente dela n era uma coisa agradel.
Mas Bella me fez ver o quanto nos amávamos e só isso importava. Eu devia tudo o que sou hoje a essa mulher... e a minha família, claro.
No dia em que sai definitivamente da casa de Victória voltei imediatamente pra casa de Bella. Percebi como ela quase explodiu de felicidade ao me ver de volta. Mas em seguida me puxou pelo braço, cuidando da ferida que a unha de Victória provocou em minha pele. Sim... essa era a mulher pra minha vida toda.

Ajeitei meu corpo no sof, voltando a admir-la, mordendo a ponta do lis enquanto analisava um projeto sua frente. Muitas vezes preferia trazer trabalho pra casa a ficar longe de mim. Seu rosto angelical estava calmo, ela quase sorria.
Novamente me deixe levar pelas recordações. Lembrança de quando a vi pela primeira vez e de como fomos nos envolvendo cada vez mais.
Flashback on
No fundo eu sentia que alguma coisa estava errada. Estava casado há quase seis meses e deveria estar ainda em clima de lua de mel. Victória era uma ruiva linda e sexy. Posso dizer que era o sonho de muitos homens. Então... não entendo mesmo o que se passava. Fazia amor com ela todas as noites e depois simplesmente me virava e dormia. Faltava um pouco de cumplicidade, companheirismo, ate mesmo romantismo.
Eu sentia falta de sair, me divertir. Não ir à farra. Nunca fui disso. Mas sair mesmo com minha esposa. Ir a um restaurante, boate, cinema. Victória estava sempre cansada, ocupada com compras, saídas com a mãe.... e comigo nada.
E foi assim que tudo começou. Cansado de insistir para que saíssemos juntos eu resolvi ir com o Emmett a uma boate. Minha vida começou a dar uma reviravolta ali mesmo, em meio a tantas dezenas de pessoas que eu mal via. Eu só a via: Bella. Linda num vestido preto, curto, revelando suas coxas bem torneadas. Os longos e sedosos cabelos caíam em ondas suaves até o meio das costas.
Eu senti meu corpo inteiro estremecer quando o seu olhar cruzou com o meu. Não sei explicar o que acontecia. Eu tremia feito um adolescente idiota, sem conseguir proferir uma palavra sequer. Ela também não deixava de me olhar e foi assim que me aproximei dela, reunindo toda coragem possível. A voz... o cheiro... a pele... tudo me atingiu em cheio, deixando-me ainda mais atordoado diante dela. Eu me apresentei e a convidei pra dançar. Nem sei ao certo quantas músicas dançamos, mas sei que ao final estávamos aos beijos.
Não menti, e nem conseguiria, afinal eu usava aliança. Enquanto ela mordia os lábios, indecisa quanto a sair comigo da boate, eu rezava fervorosamente para que ela aceitasse. Creio que ela estava tão atordoada quanto eu e acabou aceitando meu convite. Foi intenso... incrível... a noite mais perfeita de toda minha vida.
Pensamos burramente que seria aquela noite apenas. Mas ao final dela trocamos telefone... e então não teve mais volta.
Eu simplesmente não conseguia fazer mais nada a não ser pensar nela. Bella nunca me cobrou nada. Pelo contrario... sempre me recebia cheia de dengo e beijos, pulando em minha cintura, me deixando louco.
Admito que fui um canalha não só com Victória ,como com Bella também. Eu praticamente me infiltrei em sua vida, sem pedir licença. E o que ofereci a ela? Apenas algumas horas de sexo... quer dizer... de amor. Eu sentia claramente que não era apenas desejo. Eu a queria em minha vida... em todos os instantes e não somente horas. Quando visitava meus pais e eles perguntavam pela minha esposa, a imagem de Bella era a que vinha a minha mente.
Todos os melhores momentos da minha vida foram ao lado dela. Victória? Eu já fugia das suas investidas. Chegava em casa quando ela já estava adormecida e saía bem cedo.
Mas aos poucos eu comecei a perceber as mudanças em Bella. Por mais que não cobrasse ou me colocasse contra a parede, eu via sua insatisfação. E nem tinha como ser diferente. Apesar de passar mais tempo com ela do que com Victória, algumas datas importantes eu tinha que me ausentar: dia dos namorados, Natal, Ano Novo...
Então eu vi que não dava mais. Ela não merecia isso, ninguém merecia. Confesso que eu estava apavorado diante da possibilidade de ela terminar tudo comigo. Foi uma surpresa dolorosa ver que ela sentia o mesmo pavor. Eu nunca disse que a a amava. Tinha medo, não sei exatamente do que, mas tinha.
Mas acho que fui homem o bastante para criar coragem e me abrir e tomar a decisão que faltava. Eu a amava e seria com ela que seguiria dali pra frente. Pouco me importava com dinheiro, com o trabalho na empresa do meu sogro. Eu tinha a mulher da minha vida. Isso por si só me dava força para seguir.
Flashback of
- O que foi Edward?
A voz doce de Bella me tirou dos devaneios.
-O que foi o que?
-Você está há horas me olhando.
-E você fingindo que não existo.
Ela sorriu e jogou a caneta para o lado, levantando-se e caminhando até mim. Eu ainda ficava embasbacado com sua beleza, com sua pele macia e quente, com seu cheiro. Ela se aconchegou em mim no sofá, a cabeça em meu peito.
-É impossível fingir que você não está por perto. Seu cheiro me deixa maluca.
Eu ri e mordi seu nariz.
-é mesmo?
-Hum hum.
-Queria sair um pouco amor. Hoje é sábado... O sol tá brilhando bonito la fora.
- Além de ser seu primeiro dia de férias.
-Exatamente.
-Tudo bem. Vamos sair.
Antes que ela se afastasse eu a segurei com força pela cintura. Seus olhos prenderam-se nos meus, repletos de amor e carinho.
-Eu te amo.
-Eu também amo você. Sabe... Nem acredito que estamos a quase dois anos juntos realmente juntos... Morando juntos.
-Pra mim parece que foi ontem. Só tenho que agradecer a você amor... Por tudo.
-Nem comece com isso Edward.
-É verdade Bella. Você praticamente sustentou a casa enquanto eu me formava. Trabalhava duro e ainda assim encontrava tempo para ser a esposa perfeita.
-Nós somos companheiros, somos amigos acima de tudo. Temos que dividir tudo Edward... E quando um passa por dificuldade, o outro tem que estar ai para amparar, para colocar pra cima. É assim que deve ser sempre.
Segurei sua nuca, buscando sua boca, envolvendo-a num beijo quente e intenso. Bella como sempre correspondeu com paixão até quase perdermos o fôlego.
-Nem toda mulher pensa como você Bella. Muitas pensam que o marido tá fazendo corpo mole ou coisa do tipo.
-E nem todo homem age como você.  Você não teve orgulho em aceitar minha ajuda e hoje está como? Um lindo e sexy advogado de sucesso.
Eu rolei meus olhos e levantei-me levando-a nos braços.
-Lindo e sexy é por sua conta.
-Lindo, sexy e gostoso.
Voltei a colar meus lábios nos dela enquanto subia as escadas.
-Hum... Nem da vontade de sair.
-Eu sei. Mas você insistiu. E bem que gostaria de ir ver seus pais. Estou sentindo falta da Esme.
-Então daremos uma passada lá.
Minha mãe e Bella viraram unha e carne, assim como Alice. Aliás, a minha família inteira caiu de amores por Bella. O que pra mim não era nenhum espanto. Além de ser uma mulher espetacular... Era a pessoa que eu amava e que me fazia feliz.
Ainda não tinha me casado com ela, queríamos esperar nossa vida se estabilizar. Mas agora creio que já estava na hora. Eu já tinha um bom emprego, ela também. Estávamos mais apaixonados do que nunca. Victória, minha ex mulher, finalmente tomou um rumo na vida e desapareceu de vez. Por quase um ano ela ainda me importunou, mas agora eu estava em paz.
Coloquei Bella de pé próximo a cama e me afastei.
-Não vai pro banho?
-claro que sim. Mas antes quero fazer uma coisa.
-O que?
-Tão curiosa.
Falei enquanto abria a gaveta da cômoda e tirava uma pequena caixa de veludo. Caminhei até Bella, seu olhar atento recaindo sobre a caixa. Ela arfou e mordeu os lábios, típico de quando estava nervosa.
Abri a caixa e peguei sua mão em seguida, deslizando o anel em seu dedo.
-Bella... Eu a amo mais do que tudo. Sei que estamos juntos há quase quatro anos, se formos contar o tempo em que... Que você sabe.
-Sim...
Ela sussurrou e voltou a morder os lábios.
-Eu não me vejo mais sem você. Minha vida não tem sentido longe de você. E acho que só saber que estamos juntos já não basta pra mim. Eu quero ser inteiramente seu de todas as formas e quero que você também seja minha.
-Edward...
-Case-se comigo Bella.
Seus olhos desceram até sua mão, olhando o anel em seu dedo. Instantes depois eu percebi lagrimas escorrendo pelo seu rosto. Segurei em seu queixo, forçando-a a olhar em meus olhos.
-é claro que eu aceito Edward. É tudo o que mais quero.
Com uma das mãos em sua cintura e a outra subindo ate sua nuca eu puxei seu corpo de encontro ao meu. Ambos fechamos nossos olhos antes mesmo que nossos lábios se encontrassem.
Minha vida girava em torno dela há praticamente quatro anos. Passamos por dificuldades e obstáculos juntos e sei que outros maiores ainda virão. Entretanto estávamos mais unidos do que nunca. Eu tenho em Bella uma amiga, companheira, amante, mãe e esposa. Tenho tudo o que sempre sonhei em uma única mulher. Amo e sou amado. E agora mais do que nunca aprendi o significado da palavra Fidelidade e Cumplicidade. As duas juntas aliadas ao amor me trouxeram a felicidade que julguei ser possível apenas em contos de fada.
Mas será que para viver um conto de fadas ou pelo menos saber o que é felicidade, não temos que errar, cair, voltar a levantar, sofrer e lutar? Hoje eu sei que é assim. Ser feliz só depende de nós mesmos.


Reações:

27 comentários:

Eu estava com saudades suas e das saus fics. Ler essa one junatamente com Mad tempation foi das melhores predas de Natal.
AMEI A ONE ESTÁ LINDA...

UM FELIZ NATAL COM MUITO AMOR, CARINHO, SAÚDE E FELICIDADE PARA VOCÊ E PARA A SUA FAMÍLIA!
BJS

Aiii Elly tava morrendo de saudades de ler as suas fics, e essa One foii perfeitaa, assim como tá sendo MT... Feliz Natal e um próspero Ano Novo *------------*

Nem preciso dizer que está ótima né?.

Miriã

Linda...esta incrivel como sempre Elly...senti uma diferença nesta one, um clima bem mais leve e descontraído....

Incrivel....estava morrendo de saudades de suas fics.....ainda sonho com algumas...kkkkkk

Saudades linda.....
O endereco esta com o nome dde Bianca...porque fiz um blog para uma amiga com meu login...rs.....mas é a Máyra L'Abbate falando...kkkkkkkkkk

bjs e um feliz natal para voce!

Amei Ely minha divaaaaaaaaa perfect amei demaisssssss demais bjs

Muito linda, me deu uma sensação muito gostosa, acreditar no amor. Perfeita como todas as suas fics. Mil beijos, Jeanne.

Elly Martins, Minha Diva!

Que delícia terminar o ano lendo uma one sua, sua escrita inconfundível corri para cá assim que pude. E nessa manhã de Natal pode ter certeza que é um presente. Adorei a one, como não poderia deixar de ser. Uma grande lição, afinal muitas vezes precisamos cair, sofrer, errar para finalmente encontrar e valorizar a verdadeira felicidade.
Beijos no coração Minha Diva, sua sempre fã!!!

Elly que lindo presente de natal que vc nos deu ,ameeeeeiiiiii
,estava morrendo de saudade ,de suas fics
não pare nunca ,uma mente brilhante já mais pode ficar parada
bjjjjjjsssssssssssssssssssssssssssssssFeliz Natalllllllll

Que linda Elly, amei a one, está perfeita como tudo que vc escreve, estava morrendo de saudades das sua fics, parabens.
Feliz natal pra vc e toda sua familia, bjos

Ah! Ely
Como sinto falta do seu modo de escrever que muitas das vezes parece que foi escrita pra cada momento de nossas vidas.
Foi um belo presente de natal que nos deu e falando nisso um feliz natal à voce e todos de sua familia.Bjs

Aiii Divaa Quee Saudadess :// *-----* '
Nemm preciso Dizerr que essa One Está PERFEITAA née? HAUHSU'
Divaa te desejo TUDO de Bom, muita Alegria&Paz que vocês não nós abandonee u.u ,Maldade Ficamos com saudadess UAHHSU'
Divaa Até a proximaa '
Beijos&beijos'

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
amei a One Diva !
Elly NUNCA pare de escrever porque se não você deixara muitas pessoas triste, pois você querendo ou não você tornou divertida a vida de muitas pessoas.
aaaaaaaaaa e não ligue para que pessoas negativas falam pois elas são insignificantes.
te desejo um Feliz Natal com muita Paz,alegria e saúde.

omg!!!! morri...diva que fic mais linda foi esssa? amei demais!!!!
no inicio quase tive um treco achei que a esposa fosse a bella, mas como tu é tão apaixonada por eles qto eu, eu sabia que tu não iria fazer uma fic em que a bella fosse a traida!mas que eu me assustei, isso sim! kkkkk
beijokas diva....feliz natal e um otimo ano novo pra ti! tu mora no meu coração!

boa tarde elly, obrigado pelo presente de natal. sinto falta das suas fics, muitas delas eu nem tinha acabado de ler. espero que Deus continui te danto inspiracao para que continue sendo essa excelente autora que é e que ele continue iluminando seus caminhos para que os anos vindouros sejam cheios de realizacoes e felicidade bom natal. bjs ( quando vc tiver um novo endereco de fic por favor me avise ivanammedeiros@yahoo.com.br)

Elly!!

Agora que eu vi o recado da Fran!

Que linda surpresa de Natal!!!! Amei como sempre!!

Que esse dia seja lindo e que 2012 venha repleto de coisas boas!!

Beijinhus

Como sempre...maravilhosa... amei... assim como as outras não faltou um bom romantismo...

bjus!!!

FELIZ NATAL...

E o que posso dizer, simplismente MARAVILHOSA. Ai diva estava morrendo de saudades de você, espero que este seja o começo de seu retorno para a nossa vida. Muito lindo você sabe que adro tds as suas histórias.

AAAAAAAAA que saudades de lê uma fanfic da Elly, e uma One como presente de Natal é mais que perfeito!!
Parabésn Elly, a história está linda!
Um Feliz restinho de Natal e um Ano Novo repleto de vitórias!

Beijoooos, Barbara Sá.

Muito lindo adorei,como sempre perfeita.
Saudades Diva...

Perfeito como sempre!
Sinto falta das suas fics que sempre me alegravam a vida!
Mal posso esperar pelo seu retorno que será em grande estilo com certeza!
Obrigada por essa pequena provinha!

Ahhhh, que legal... Tava sentindo falta das suas fics Elly, essa One tá incrivel!!!
Parabéns!!!

Elly *--*
AA como eu senti falta das suas histórias. Eu amo cada linha q vc escreve. Perfeito perfeito perfeito

Eu sempre vou esperar ansisamente por mais!
Beeejos

Que presentão de Natal!
Obrigada Ely, estou morrendo de saudade de vc e sua fics.
beijos e fica com Deus!

Ahhhhhhhhhhhhh Elly saudades de Ti divaaaaaa, amei, amei amei, quero mais como faço?kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Bjs!!!!

Que linda, adorei a OS... *-*

Q FIC LINDA AMEI MESMO
PENA Q ACABOU LOGO.....
BJKSSS.......

Postar um comentário