domingo, 14 de outubro de 2012

Robert Pattinson fala sobre ‘A Saga Crepúsculo, Amanhecer – Parte 2, 50 Tons de Cinza, fama e sucesso’

Lembrando que esta entrevista é uma das mais recentes das que estão inclusas no ‘Robert Pattinson, Kristen Stewart & Taylor Lautner – In Their Own Words’. Divirtam-se e boa leitura:


Parecendo extremamente casual com uma camiseta velha, boné de baseball, jeans desbotado e com a barba por fazer, Pattinson, 26, parece feliz e relaxado por ter o filme que mudou sua vida atrás dele. Como sempre, ele não fala sobre seu relacionamento com sua co-estrela Kristen Stewart, mas fala um pouco sobre como é o pós-Crepúsculo, assim como os rumores de que ele interpretará o personagem principal na adaptação cinematográfica de 50 Tons de Cinza. Depois ele irá estrelar o filme de David Cronenberg, Cosmópolis.

Pergunta: Agora que finalmente acabou, vamos voltar. Qual foi o momento mais tocante para você no filme, incluindo o que você ainda não viu? Robert Pattinson: De toda a saga?

P: Sim, o que mais te emocionou e qual cena foi a mais difícil?
RP: Provavelmente uma no primeiro, que é quando Bella acorda no hospital e diz ‘Nunca me deixe novamente’ e eu falo : ‘Para onde eu iria?’ ou algo assim. Eu ainda acho que essa é meio que minha preferida porque foi tão diferente o que aconteceu depois, nós ficamos animados lá pelo quão diferente foi a cena. Como todo filme depois, a ideia de criar a fala é o tipo de coisa diferente então eu amei. Mas a mais difícil provavelmente foi a cena do nascimento na primeira cena desse último porque foi hilária, e era para ser séria.(risos) E teve uma cena em que nós tínhamos que olhar diretamente para a câmera, e eu estava chorando de rir e eu tinha que me abaixar e morder o bebê para fora e eu estava tipo, eu tinha que impedir as lágrimas de caírem e parecia que eu estava chorando lá. E eu não deveria poder chorar, como um vampiro, e eu meio que estou chorando nessa cena por causa dos risos.
P: É legal ver Kristen interpretar e ficar diferente como uma vampira? Ela agora é sexy e não mais desajeitada?
RP: Por alguma razão, eu ouvi o Taylor na Comic Con falando sobre ela ser desajeitada, e eu fiquei tipo ‘Ela era desajeitada?’ ( risos). E todo mundo falava sobre a falta de jeito. Mas é, eu nunca entendi isso. É sempre o aspecto de personagens femininas e jovens que elas deveriam ser pouco atraentes quando elas claramente não são nada pouco atraentes ? ( risos) É tipo, ela é realmente desajeitada, e eu nunca conheci uma pessoa genuinamente desajeitada ou percebi alguém que é conhecida por ser desastrada, (risos) é tão estranho.
P: Você acha que tem a qualidade de um eterno cavalheiro (gentleman)?
RP: Eu não sei. Eu acho que sou relativamente sensível. Além do mais, eu tenho duas irmãs mais velhas então eu cresci com muitas garotas, então eu acho que eu tenho uma mentalidade diferente por causa disso. E eu nunca joguei nenhum tipo de esporte coletivo ou nada, (risos) então eu acho que todas essas coisas contribuíram. Mas é, eu não sei por que eu não estou mais sendo escalado como elas.( risos)
P: Você gosta desse tipo de personagem?
RP: É, às vezes é muito bom. Eu estava vendo Água para Elefantes na TV outro dia, porque não vai ao ponto que é tão distante que eu nem me reconheço, e eu acho que era realmente meigo. É como um filme antiquado e é,  foi divertido interpretar.Quando se está fazendo, é meio irritante, porque meus instintos querem ir para o lugar absolutamente possível e você sabe que nunca, a pessoa nunca faz isso, e a maioria dos personagens que eu interpreto são inicialmente pessoas gentis, o que é legal, porque as pessoas não são genuinamente gentis.
P: Então você tem meio que esse desejo de fazer alguma coisa, interpretar um vilão?
RP: Eu sempre quis isso até Crepúsculo. Tipo, fora Harry Potter, quase toda peça que eu participava era estranha. Mas eu não sei, eu encontro umas coisas aleatórias, o filme que eu vou fazer agora é sobre um cara real, um interrogador e ele não é particularmente estranho nem nada, ele é só…bem, ele é meio estranho.
P: Qual seu próximo projeto?
RP: É sobre o cara que encontra Saddam Hussein. É um interrogador militar, baseado nesse cara chamado Eric Maddox. É essa história louca, mas basicamente fala sobre mais ou menos 250 pessoas, nenhuma delas estava na Lista Dos Procurados do Exército dos Estados Unidos, e descobriu Saddam Hussein quando ninguém sabia que ele estava no Iraque. É uma história interessante.
P: Você já leu 50 Tons de Cinza ? Você sabia que é baseado em você? Você participaria?
RP: Eu acho que a autora me colocou fora disso. Eu vi alguma entrevista antes e eles estavam, oh, eu não poderia ser ele. E eu estava tipo ‘Hey, eu vou fazer você pagar por isso’ (risos).
P: Ela disse que não poderia interpretar o papel que era baseado em você?
RP: É divertido ver todos esses atores competindo por isso. Eu nunca vi isso acontecer antes, é muito estranho. Eu ainda não li o livro todo, eu li algumas partes, tem um livro chamado 50 Tons de Cinza, (risos) você já leu esse livro ? É incrível, só um livro de imagens de 50 Tons de Cinza, (risos) e está literalmente na lista de best seller do New York Times. As pessoas escolheram a leitura errada. (risos)
P: Você disse que só assistiu Água para Elefantes. Como você se sente quando vê seus próprios filmes ? Leva algum tempo para separar de você mesmo?
RP: Sim, pelo menos alguns anos. Mas eu realmente gosto do primeiro filme de Crepúsculo, porque passa constantemente na TV, (risos) então eu já vi umas 6 vezes, mas eu lembro de ver pela primeira vez na pré-estréia e eu tive que sair.Eu saí e sentei no carro e foi meio esmagador para mim. Eu comecei a ter um ataque de pânico no cinema, e aí eu saí correndo e fui para o carro e nem percebi que alguém estava me filmando pela janela do carro, eles estão do lado de onde eu estava sentado e eu fiquei tipo ‘Ai meu Deus!’ Agora é diferente. Mas eu acho muito difícil ver os filmes, mesmo que eu tenha visto Cosmópolis e porque é tão estilizado que eu não achei tão difícil assistir.
P:Em que você pensa quando se vê nos filmes?
RP: Eu não sei exatamente o que eu estou fazendo quando estou fazendo-os, ( risos) eu acho que maior parte das vezes é como se eu estivesse jogando uma moeda e como se alguma coisa viesse boa ou ruim quando você está fazendo, até na cena…Eu não entendo esses atores que podem constantemente ir trabalhar passando para o ‘modo atuar’. E foi bom todo o tempo. Tipo, eu posso literalmente andar pelo set e não fazer ideia, eu terminei toda minha preparação ou qualquer outra coisa e eu não tenho ideia do que vai acontecer até que eu abra a boca. Eu também posso sentir quando alguma coisa sai terrivelmente errado, quando é a melhor cena no filme ou sei lá. Eu nunca tenho ideia.
P: Você é um ator metódico?
RP: (risos) Eu não sei se eu sou completamente apegado aos meus próprios métodos.
P: Você teve uma preparação diferente para esse ? Teve muita coisa física e mais , algo que você possa nos falar sobre a sequência final, como foi filmar?
RP: É engraçado (risos), deveria ser segredo, mas eles colocaram no trailer, tipo a Summit estava dizendo, ‘Não fale sobre a batalha’ e eu fiquei tipo ‘Está no trailer, do que você está falando?’ (risos) Mas é, eu fiz musculação. Eu trabalhei bastante no começo porque eu tinha que começar sem camisa, mas é isso, (risos), nós filmamos a batalha e tal no final. E por lá, eu estava completamente fora de forma.
P: Como você fez isso ?
RP: Eu passei noites fazendo isso. Tem uma luta no filme, eu realmente não tenho que me preparar para isso porque não é realmente uma luta normal, tipo você tem que ser um pouco malhado, e eu sou meio mal-coordenado. Eu sou meio desengonçado, então é fácil para mim fazer isso, porque se você está indo socar, você soca e é imenso, onde a maioria das pessoas que realmente acertam muito de algo estão tão acostumadas a manter isso e parece falso para elas. Mas eu acho que esse tipo de coisa fácil, e dá para fazer em uma ou duas tomadas. Tipo, todos os outros que estavam em bom condicionamento físico tinham que fazer umas dez. Mas a única coisa chata era o arame, mas eu nunca vi ninguém que fosse bom com nada no arame, é sempre pelo operador. Se você consegue um bom time de arame, então você vai parecer bom. Se algo não estiver bem organizado, você vai parecer horrível, não importa o quão bom você esteja.
P: Você ficou com medo?
RP: Tipo, na maior parte do tempo nós estamos só cansados,(risos) todo o tempo nós estamos simplesmente indo pelos movimentos.
P:Você tem alguma lembrança do set?
RP: Eu tenho quase todo o figurino do primeiro filme porque eu estava usando tudo por quase 2 anos.
P: Você estava na cena do baseball, você tem o figurino?
RP: Não, aquele foi leiloado. Estávamos com orçamento baixo no primeiro. (risos)
P: Entre os que você pegou, qual seu favorito?
RP: Um jeans que eu peguei. Eu literalmente comprei todas essas roupas e mandei a companhia me pagar de volta no primeiro. Eu podia fazer qualquer coisa no primeiro filme, foi maluco. Eu fiquei preso em Vancouver para tirar meu Visa eu mesmo. Eu comecei a comprar meus figurinos (risos) e fiquei com eles anos depois.
P: Que grande diferença.
RP: É. E o engraçado é que eu tenho todas essas coisas do primeiro. Eu estava vestindo pequenas marcas independentes de lojas legais de Vancouver e lá pelo último, quanto mais dinheiro estava envolvido, mais haveria contrato com marcas de roupas então se você olhar para esse último, todo vampiro está usando G Star ou Bellstaff. (risos) Não importa em que lado eles estão, (risos) é louco. E eles tem a marca também, é louco.
P: Depois de todos esses anos, do que você mais sentirá falta?
RP: Tem algo incrivelmente familiar e legal nisso e normal o que você está fazendo quando você vai para um set em que conhece todo mundo, então é como o primeiro dia na escola toda vez que você começa, mas você conhece as pessoas. É estranho, e também é legal.É tipo, quando você está fazendo um trabalho onde tudo muda toda hora, como fazer um programa de TV, mas ao mesmo tempo é uma das melhores coisas em atuar, (risos) você pode deixar todo mundo para trás.
P: Depois de todo esse sucesso, o que você faz para continuar focado?
RP:Eu não sei, eu acho que eu sou genuinamente uma pessoa insegura, então não é muito difícil para mim. Tipo, eu acho que mesmo que alguém diga que algo é bom você tem que ser muito idiota para se deixar crescer demais, especialmente quando tudo na sua vida é registrado. Eu não entendo pessoas que são atores e ainda tem o ego inflado. É tipo, todo mundo sabe quem você é, todo mundo sabe que você é um idiota vaidoso, (risos) e é o que todo ator é.
P: O que você mais sente falta de não poder fazer?
RP: Eu sinto falta de ir ao cinema, especialmente em LA, porque LA tem os melhores cinemas do mundo. Eu costumava ir umas quatro ou cinco vezes por semana, e poder estar no anonimato, você quer poder sentar em um lugar e não se preocupar, só ouvir as pessoas ou ver as pessoas mas tem os celulares com câmera, os celulares com câmera e TMZ destruiram tudo. E em alguns anos, as pessoas vão ficar tipo “Droga, eu preferia não tem entrado no TMZ, agora nós arruinamos tudo para nós mesmos.” (risos)
P: Qual a melhor coisa que você conseguiu?
RP: Poder fazer esse trabalho. Tipo, é o melhor trabalho do mundo. Eu queria ter conseguido 12 anos atrás. (risos)
P: Obrigado.


Via Trad e Adaptação: TwiZone Brasil

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário