sexta-feira, 2 de março de 2012

FANFIC O Sabor Da Vida por @KellyStephanies - Capítulo 4

O Sabor Da Vida.

Desculpe-me

POV BELLA:
Acordei, graças a Deus, e olhei para o meu relogio de cabeceira. Já sao 7:00 e se eu nao me adiantar acabarei me atrasando e isso nao será nada bom, afinal nao quero ouvir reclamaçoes do tal Edward Cullen logo no meu primeiro dia. Arrogante, foi isso que eu percebi após os poucos minutos que conversamos. Ele acha que só porque tem dineiro é melhor do que as outras pessoas, e eu me lembro quando eu era assim, exatamente como ele, me achava a dona do mundo pelo simples fato da minha familia ter dinheiro, por meu pai ser um grande advogado e termos as melhores coisas que o dinehiro pode comprar, agora percebo que nada disso faz diferença no final das contas.
Tomei um banho rapido, e vesti a primeira roupa que encontrei, tentei ser a mais básica possivel, afinal cuidar e brincar com uma criança de 3 anos durante todo o dia é algo que nao exige uma grande produçao. Desci pra tomar meu café da manha, e Rosalie estava lá, devidamente uniformizada para seu serviço no supermercado.
–Bom dia.-eu disse, pegando uma fatia de bolo e enchendo um copo com suco de laranja.
–Bom dia.Pelo menos senta para tomar seu café direito.-ela apontou para a cadeira na sua frente.
–Nao dá, nao posso chegar atrasada logo no meu primeiro dia.-virei o suco de uma vez só e engoli rapidamente.-A gente se vê mais tarde
.-Boa sorte.-Obrigada.
E sai em direçao a rua. Entrei em meu carro e segui em direçao a casa do Edward Arrogante Cullen. Dirigi dentro dos limites de velocidade dessa minuscula cidade 30 km/h e ainda assim cheguei a tempo. Olhei em meu relogio, eram 7:55, cinco minutos de antecedencia. Entrei na casa e Edward estava na sala com a mesma cara de quem comeu e nao gostou do dia anterior.
–Atrasada.-disse, olhando para mim de cima a baixo.
–Bom dia. Sao 7:55 no meu relogio, entao eu cheguei antes do horario.
Ele sorriu ironicamente e apontou para o relogio que se encontrava na parde daquela sala.
–Você trabalha para mim, nao se esqueça disso e tambem nao se esqueça que a partir de hoje, seus horarios sao comandados por esse relogio e nao pelo seu. Estamos entendidos, Swan?
–Perfeitamente Sr.Cullen.
–Aqui estao os horarios da minha filha.-ele me entregou uma agenda.- Eles precisam ser cumpridos com o maximo de exatidao, nada de atrasos.
–Tudo bem.
Ele saiu, com certeza ia trabalhar. Tomara que fique fora de casa o dia todo, tomara que só volte quando eu tiver ido embora. Sentei e comecei a ler a agenda, vendo quais as tarefas para hoje:
8:30-levantar
9:00- café da manha.
9:30 as 11:30- leitura.
12:00 almoço.
14:00 as 16:00 hora de dormir.
16:00 as 18:00- brincadeiras diversas
18:00-lanche.
19:30-jantar
20:30- dormir.
Pelo amor de Deus, nem eu, uma garota de 18 anos tenho tudo organizado dessa maneira, imagina como isso deve ser extremamente chato para uma garotinha de apenas 3? Que se dane esses horarios, Sophia é uma criança e deve ser tratada como tal. O que sera esse momento de leitura? Será que ela já está aprendendo a ler? Fui até a cozinha e a mesa do café já estava arrumada. Pelo visto eu sou a unica empregada dessa casa, entao já que sou a unica pessoa acordada por aqui, vou aproveitar para conhecer o restante da casa.
Subi as escadas que davam acesso ao segundo andar, havia varias portas, e uma com uma plaquinha rosa com a frase "Aqui dorme uma princesa"", que com certeza deve ser o quarto de Sophia. Abri a porta, tentando fazer o minimo de barulho para nao acordá-la, seu quarto era lilás, com as prateleiras repletas de bonecas e ursos de pelucia. Isso me lembrou a minha infancia, do meu pai lendo para mim todas as noites antes de dormir, da minha mae, me ensinando a ler, deles me levando ao primeiro dia de aula. Sentei em uma cadeira que estava proxima de sua cama e fiquei olhando-a dormir, parecia um anjo. Ela começou a mexer e logo acordou.
–Bom dia.-sorri para ela.
–Bom dia Isa, você voltou.-ela sentou na cama.-Vamos brincar hoje que nem ontem?
Eu fiz que sim com a cabeça.
–Mas antes eu vou te ajudar a trocar de roupa e depois vamos tomar café da manha. Tudo bem?
–Tudo, tudo, e o papai onde ele está?-perguntou fazendo biquinho.
–Ele foi trabalhar.-a peguei em meu colo.-Agora vamos escolher uma roupinha bem bonita para você.
Sophia escolheu um vestidinho rosa e um chinelinho branco, eu penteei seus cabelos e os deixei soltos. Ela é tao linda, e carinhosa, com certeza deve ter herdado essa qualidade da mae, porque o pai é um poço de arrogancia. Descemos as escadas e fomos até a cozinha para que ela tomasse o café da manha.
–Isa, você gosta de mim?-perguntou enquanto terminava de tomar o copo de leite.
–Gosto sim, querida.-falei com toda sinceridade, mesmo a conhecendo apenas a dois dias, eu ja estava completamente encantada por essa garotinha. Um anjinho.
–Seja minha mãe, por favor. A minha mamae foi para o céu, virou um anjinho, mas eu quero que você seja minha nova mamãe, quero que você e o papai fiquem juntos.-ela sorria para mim.
Como eu diria a uma criança que eu nunca irei ficar com ninguem, nunca irei constituir uma familia, e nunca em sã consciencia ficaria com alguem como o seu pai?
–Sophia, eu nao posso ser sua mae, mas posso ser sua amiga, sua melhor amiga. Você aceita?-toquei a ponta do seu nariz e consegui arrancar um sorrriso timido do seu rosto.
Apos o cafe da manha, decidi que durante o horario de leitura, iriamos fazer outra coisa, aproveitar esse tempo para brincar, algo relamente normal para a sua idade. Fomos até a area da piscina, e ficamos ali brincando de bonecas.
–Isa, você sabe tocar piano?
–Um pouco, por que Sophia?-perguntei curiosa.
–Lá num quarto que o papai nao goste que eu entre tem um piano, as vezes ele entra lá e toca, mas isso já tem muito tempo, eu queria tanto ouvir o som que o piano faz, é tao lindo Isa, toca um pouco para mim, por favor?-ela fez o biquinho novamente e acabou me convencendo.
Voltamos para casa, e ela me guiou até o tal quarto, e eu me surpreendi. Ali estavam todas as coisas da mae de Sophia, fotos, roupas e havia tambem um piano. Sophia sentou no banquinho em frente ao instrumento e eu me sentei ao seu lado.
–Vai Isa, toca.-ela sorria.
Comecei a tocar timidamente, mas lembranças vieram em minha mente e eu deixei que a musica tomasse conta do ambiente. Dedilhei as teclas do piano e toquei a primeira musica que aprendi quando eu fazia aulas de piando (atividade que desisti apos poucos meses de aula),Sophia me olhava com os seus olhinhos curiosos, dando um sorriso uma vez ou outra.
–Posso saber o que está acontecendo aqui?-ouvi uma voz invadir o quarto.
Era ele. E eu sabia que uma grande confusao estaria a caminho.
POV EDWARD:
Como todos os dias, decidi sair do escritorio na hora do almoço para poder passar um tempo com minha filha mas hoje vou aproveitar esse tempo para dar todas as instruçoes a nova babá. Assim que entro em casa, escuto o som do piano vindo do quarto onde guardo todas as coisas da Kristen. Vou até o quarto e vejo aquela garota tocando piano.
–Posso saber o que está acontecendo aqui?-ela me olhou assustada, como se estivesse vendo um demonio.
–Sr.Cullen.
–Papai, que bom que você está aqui.-disse Sophia, correndo para o meu colo.
–Querida, eu preciso conversar com ela, pode sair um pouquinho.
–Eu nao quero que brigue com ela.-ela foi para perto da garota e segurou em uma de suas pernas.
–Por favor Sophia, faça o que o seu pai está pedindo. Depois a gente volta a brincar.-ela deu um sorriso para minha filha que saiu rapidamente do quarto.
–Quem você pensa que é para entrar e se meter em coisas que nao te dizem respeito? Você é uma simples empregada e precisa saber se colocar em seu devido lugar nessa casa-ela simplesmente ficava calada ouvindo atentamente tudo que eu dizia.-Você nao pode simplesmente se meter onde nao foi chamada.
–Já disse tudo que queria falar?-ela me perguntou cruzando os braços.-Ótimo, primeiro nao é só porque você tem dinheiro que tem o direito de falar assim comigo, em segundo lugar eu nao sabia que aqui era uma especie de altar para a sua esposa e em terceiro foi Sophia que pediu que eu tocasse para ela.-ela tentou sair do quarto mas eu segurei seu braço, talvez até com um pouco mais de força
.-Espero que isso nunca mais se repita, Isabella.-olhei dentro de seus olhos e pude perceber que ela nao tinha medo de mim.
–Pois sinto desapontá-lo, pois sempre que Sophia me pedir para tocar eu farei.-ela sorriu ironicamente.-Agora por favor, pode soltar o meu braço?
Eu fiz o que ela me pediu e ela foi embora, como se nada tivesse acontecido.
Droga, essa garota só sabe me tirar do sério. Quem ela pensa que é para falar comigo dessa maneira? Eu sou Edward Cullen e tambem sou seu patrao, ela nao pode simplesmente falar comigo daquela maneira como se eu fosse alguem como ela. Garotinha irritante de nariz empinado. Tranquei o quarto e fui até a cozinha preparar o almoço, tinha tempo até ter que voltar para o escritorio,alguns minutos depois encontrei Isabella na sala com Sophia que sorria com o que a garota falava.
–O almoço está pronto.-eu disse.Sophia desceu do colo dela e veio até a mim. Isabella continuava sentada.
–Vem Isa, vamos almoçar.-Sophia a chamava, ams ela continuava sentada, olhando para mim.
–Eu nao vou almoçar querida, vou deixar você com seu pai e vou dar uma passadinha em casa.
–Tá bom Bella, mas nao demora ta?
–Ta.-as duas sorriram e Sophia foi para a cozinha.-Como o Sr mesmo disse sou apenas uma empregada, nao tem por que eu almoçar com vocês. Nao se preocupe-ela apontou para o relogio.-Eu vou seguir o seu horario.-ela saiu e bateu a porta com força.
Irritante, prepotente, sem educaçao. Fui para a cozinha e servi Sophia, e depois me servi. Sentei ao seu lado e ela começou a falar:
–Papai, por que você nao gosta da Isa?
–Sophia, a Isabella fez coisas que o papai nao gostou, por isso eu tive que ser mal com ela.
–Se eu fizer alguma coisa que você nao gosta, você tambem será mal comigo?-perguntou com o rosto um pouco assustado.
O que eu faço agora?
–Nao querida, Isabella fez algo errado, mas eu nuca serei mal com você.
–Nao seja mal com ela tambem, eu gosto dela e eu nao gostei de você ter interrompido ela quando ela tocava para mim.-ela disse brava, cruzando os bracinhos.
Eu acariciei seus cabelos, mas ela se esquivou do meu toque.
–Quero que peça desculpas a Isa, papai. Eu quero, se nao nunca mais converse comigo.-ela saiu correndo da cozinha.
Pedir desculpas aquela garota por ela ter se metido em algo que nao era da sua conta. Eu iria fazer isso? Ia, tudo por Sophia. Já é dificil cria-la sozinho, nao quero magoá-la e se ela quer que eu faça isso, será isso que eu irei fazer. Nem terminei de almoçar, juntei as louças e fui lavá-las, decidi telefonar para o meu pai e dizer que nao voltaria para o escritorio a tarde pois tinha que resolver um problema. E que problema.Fiquei na sala esperando que ela voltasse. Mas ela nao voltou. Esperei até o fim da tarde, mas ela nao voltou. O que será que havia acontecido com ela?
POV BELLA:
Nunca fui tao humilhada em toda minha vida. Idiota, arrogante, retardado. Edward Cullen definitivamente é o homem mais grosso que eu já conheci em toda minha vida. E tambem o mais lindo. Bella para com esses pensamentos. Sai da casa dele e fui direto para a lanchonete que conheci logo que cheguei a cidade. E por sorte, Angela estava lá.
–Oi Bella.-ela sorriu.-E entao, gostando de Forks?
Me sentei em um dos bancos, proximos ao balcao.
–É, consegui até um emprego. Sou babá da filha de Edward Cullen.
–Você está trabalhando para o viúvo mais gostoso e desejado de toda a cidade? Eu nao acredito, você realmente tem muita sorte.-ela dizia toda animada.
–Edward Cullen é o homem mais detestavel e arrogante da face da Terra.-fiz uma careta.-Eu vou querer um hamburguer e uma coca-cola.
Ela anotou o meu pedido e eu percebi que as marcas da mao dele estava em meu braço esquerdo. Idiota, nem sabe como tratar uma mulher. Meu pedido veio minutos depois e eu comi em silencio, nem deu para conversar com Angela ja que o havia muito movimento na lanchonete. Decidi que nao voltaria para a casa dele hoje, e que talvez meu pai estivesse certo: eu deveria voltar para casa e começar logo a me tratar, talvez assim eu conseguisse viver mais alguns anos. Voltei para casa, e fui direto para o quarto onde eu estava dormindo e me joguei na cama.
Meu Deus, o que eu faço? Fico em Forks aguentando a arrogancia de Edward Cullen ou volto para Nova York e aguento meu pai falar: eu te avisei, eu sabia que você acabaria voltando.? Acabei dormindo, e quando acordei já havia tomado a minha decisao. Calcei meu all star e caminhei pelas ruas de Forks até chegar na casa do Edward, sumi o dia todo agora precisava dar uma satisfaçao. Apertei a campainha e ele atendeu,sem camisa com uma cara de sono e com o cabelo todo desgrenhado.
–Isabella, o que está fazendo aqui?-perguntou completamente confuso.
–Vim me desculpar por nao ter voltado a tarde, aconteceu alguns problemas e infelizmente nao consegui vim para cá.-falei esperando já a sua falta de educaçao.
–Desculpe por hoje mais cedo, e tambem por seu braço.-ele apontou para a marca que provavelmente ficaria roxa.-Isso nunca mais voltará acontecer, nunca mais irei machucar você.
–O Sr nao precisa se desculpar, eu devia saber o meu lugar.
–Nao estamos mais em horario de trabalho, pode me chamar de Edward.
–Se for assim, pode me chamar de Bella, nao gosto de Isabella.-eu falei e isso o fez rir.
–Amanha Sophia te espera, e mais uma vez me desculpe.
–Eu nao tinha e nem tenho o direito de invadir a sua privacidade, sei como deve ser triste perder alguem que a gente ama.Nunca passei por isso, mas meus pais devem estar sentindo algo muito parecido com o que você está sentindo agora.
Ele me olhou confuso, passou a mao por seus cabelos e me perguntou:
–E o que eu estou sentindo agora, Bella?-olhou dentro dos meus olhos.
–Vazio, um porfundo vazio no coraçao.-eu disse simplesmente e sorri, ele retribuiu meu sorriso.
–Boa noite.
–Boa noite.
Segui pelo mesmo caminho que eu havia percorrido, na esperança de que amanha tudo esteja exatamente como hoje, na esperança de um novo dia, de um novo recomeço. Peguei meu celular e decidi telefonar para casa.
–Alo, mae.
"Bella, querida, como você está?"
–Eu estou bem, nao precisa se preocupar, estou feliz e é isso que importa.-sentei na calçada da casa de Rosalie.-E como estao as coisas aí, como o papai está?
"Ahm Bella, sentimos tanto a sua falta filha. Seu pai está inconsolavel com a sua ausencia, Por favor, volte. Nós te amamos e precisamos de você aqui, deixe que cuidemos de você."
–Mae, eu amo você, nunca se esqueça disso,e aconteça o que acontecer sempre estaremos juntas. Lembra quando eu era pequena e tinha medo do escuro?
"Claro que eu me lembro querida, eu e seu pai faziamos de tudo para te convencer que o bicho-papao nao morava debaixo da sua cama e que ele nao saia no escuro."
–Vocês sempre seguravam a minha mao antes de eu dormir e diziam que sempre estariam comigo. Agora é minha vez de fazer isso com vocês. Quero que, todas as noites, antes de vocês irem dormir, deem as maos porque aqui eu estarei pensando em vocês e pronunciando nem que seja mentalmente que eu sempre estarei com vocês.
"Eu amo você Bella. Sempre estaremos unidos, por algo maior que tudo, algo chamado amor."
As palavras da minha mae me fizeram bem. Ela tinha razao: o amor consegue ligar tudo e todos.
Sempre que os capítulos tiverem vários comentários postaremos capítulos mais.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário