quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Overcoming por Ellymartins #FANFIC #capítulo12


Capítulo 12
Bella Pov
As horas passavam. Arrastavam-se ou não... eu não fazia ideia. Estava distraída, perdida em meus pensamentos enquanto rabiscava a frente de uma casa. A minha casa com Edward. Logicamente que não seria esse desenho feio que eu fazia, mas desde que conversamos com o engenheiro e o arquiteto eu não parava de pensar nisso. Estava ansiosa pra ver a planta já pronta do jeitinho que Edward e eu sonhávamos.
Suspirei, uma das mãos apoiando minha cabeça. Estava cada dia mais difícil me afastar dele. E o bom disso tudo é que ele sentia o mesmo. Por pouco não aceitei seu convite e dormi em sua casa. Estava tão bom na noite anterior. Um frio e chuva fina e nós dois enroscados em sua cama. Por um lado era bom demais sentir seu calor junto ao meu corpo. Mas por outro... eu sabia muito bem como estava difícil pra ele. Não há como esconder a excitação de um homem. O que me deixava confusa às vezes é que nem estávamos tão avançados nas carícias e ele já estava... assanhadinho, por assim dizer. Mas ao mesmo tempo eu ficava me sentindo a última bolacha do pacote, afinal ele estava assim por mim. Quando imaginei que seria capaz de despertar tanto desejo em um homem? Ou ainda... quando imaginei que iria ter um homem como Edward apaixonado por mim? Disposto a se casar?
Entretanto sempre havia alguma coisa para balançar minha autoestima. Dessa vez foi Lauren. Saber que Edward a viu seminua quase me fez ter um colapso nervoso. O medo... um desespero por imaginar que ele poderia se excitar com essa visão. Mas as coisas que ele me disse e principalmente seu jeito de me olhar logo me fez ver o quanto eu estava sendo neurótica.
Edward me amava... e jamais faria algo para me magoar.
Por isso mesmo eu tinha que dizer certas coisas a ele. As vezes sinto que dou muito menos do que recebo. Edward merece saber como sinto a respeito de nós dois e a respeito da minha vida logo após sua chegada. Admito que ainda tenho medos e inseguranças, mas isso é comum a todo ser humano. Entretanto eu aprendi a ser mais feliz do jeito que sou e o motivo não poderia ser outro a não ser ele.
–Esse sorriso lindo tem um nome não é?
Jéssica me despertou, olhando em meu rosto e sorrindo também. E eu que nem percebi que sorria.
–É... estava sim pensando nele.
–Fiquei tão feliz por esse noivado Bella. Você merece.
–Obrigada Jéssica.
–Jake pirou ne? Queria bater na porta do Edward ontem e chamá-lo para beber.
–Ate parece. Edward não é de beber muito.
–Isso que disse ao Jake. Mas ele disse que uma ocasião como essa merece. Sem contar que ele queria fazer um sermão e dizer ao Edward que estaria de garras afiadas caso ele viesse a fazê-la sofrer.
Eu ri do comentário. Como se Edward fosse capaz disso.
–Mas ele faz questão de sairmos para comemorar. Hoje a noite iremos sem falta.
De repente Jéssica ficou séria.
–E quanto a Lauren?
–Tenho medo que ela tente algo contra Edward sabe?
–Ah será? Ela pode tentar seduzi-lo novamente mas dai a prejudicá-lo profissionalmente... é isso o que quer dizer não é?
–Sim.
–Acho que ela não chegaria a tanto.
Fomos interrompidas pela campainha indicando o término da aula. E eu nem fazia ideia de qual matéria era. Se continuasse assim não iria conseguir me formar. E pensar que faltavam apenas dois meses para minha formatura.
–Ele vem te buscar não é?
–Vem sim. Eu vou ao banheiro.
–Ah claro... vai se embonecar pra ele. Não vou te esperar ok? Preciso ir a uma livraria antes.
–Tudo bem. A gente se vê no pub.
–Até mais logo então.
Peguei minha bolsa e fui até o banheiro. Joguei uma água no rosto e lavei-o com um sabonete que sempre levava comigo. Enxaguei e sequei com uma toalhinha que também trazia, penteei meus cabelos e passei um gloss, além de borrifar um pouco de perfume. Adorava quando Edward ficava cheirando meu pescoço e... arrepiei-me dos pés a cabeça. Às vezes me pegava pensando se ele iria realmente conseguir se segurar até o casamento. E serei sincera... em muitos momentos eu desejava que ele realmente não conseguisse esperar.
Era bom se sentir amada e desejada e isso só contribuía para aumentar meu próprio desejo em relação a ele. Por muito tempo não admiti esse desejo, mas agora me pergunto por que? Sou uma pessoa normal, pelo menos em nesse sentido. Não estou morta pra vida. Sem contar que meu noivo mais parece um Deus do que homem.
Mas por hora era melhor não pensar muito nisso. Ele já deveria estar me esperando.
Sai do banheiro e fui em direção a saída. Estava me aproximando das escadas que ficavam ao lado da rampa quando ouvi a voz me chamando.
–Bella!
Apressei o passo. Não queria ver muito menos falar com Mike. Mas obviamente ele também apressou o passo e me segurou pelo braço.
–Não me ouviu chamar?
–Ouvi mas estou de saída e não tenho nada para falar com você.
–Ah Bellinha, por favor. Ainda não me perdoou sobre nosso namoro? Olha... eu preciso lhe dizer realmente a verdade.
–Não me interessa Mike. Eu estou noiva e pouco me importa o que houve entre nós. É passado.
Ele arregalou os olhos.
–No... noiva?
Não respondi e dei mais dois passos. Ele me segurou novamente.
–Eu só fiquei com Victória porque queria preservá-la. Queria que chegasse virgem ao nosso casamento. Mas eu morria de desejo por você e ah... Bella. Nós homens somos fracos. A prova disso é seu namorado. Vai me dizer que não sabia que ele e a Jéssica já ficaram?
Meu corpo estremeceu e eu quase podia ver a palidez em meu rosto. Eu estava horrorizada com o que Mike dizia. Dei um passo para trás, completamente desestabilizada.
–Olha... vamos sair um pouco. Eu te mostro que me arrependi. Quem sabe poderemos pagar com a mesma moeda...
Ele estendeu a mão e quase tocou meu seio. Coloquei uma das muletas para trás apenas para dar impulso para acertar a outra em sua cara. Mas eu apenas senti... o vazio. So tive tempo de perceber uma coisa: eu não tinha mais sustentação. Olhei horrorizada para Mike sentindo meu corpo vacilar e sabendo que ele não iria me ajudar. Nem tive tempo de gritar por ajuda. Senti meu corpo desequilibrado rolar pela escada.
–NÃO...
–NÃO... BELLA...
A última coisa que tenho lembrança foi de ouvir o grito.
*********
Tentei girar meu corpo e gemi de dor, abrindo imediatamente meus olhos. A primeira coisa que vi foi um par de olhos verdes e preocupados me encarando.
–Amor... ah... que bom que você acordou. Estava ficando louco.
–Edward...
–O que está sentindo?
–Dor.
–Vou chamar a enfermeira.
–Estou no hospital?
–Sim. Trouxemos você depois que caiu da escada.
Fechei novamente os olhos lembrando-me da cena. Merda... como pude me distrair assim? Justo eu que sempre tomei o máximo cuidado e conhecia todos os degraus, falhas e rampas daquela escola?
–Como eu estou?
–Uma leve torção no pulso... e um pé quebrado.
Gemi, desconsolada. Pé quebrado... era só o que me faltava.
–Calma princesa... pense que poderia ser bem pior se formos olhar a forma como você caiu.
–Merda... vou ter que usar cadeira de rodas Edward. É tudo mais difícil. Minhas irmãs vão ter que ficar me carregando e...
–Hei... e pra que você tem um noivo forte ao seu lado hein?
Ele sorriu aproximando seu rosto do meu e me beijando suavemente.
–Eu vivo procurando uma desculpa pra cuidar de você. Agora achei.
–Bobo. E quando vou sair daqui?
–Só estavam esperando você acordar. Ja fizeram vários exames. Acho que querem fazer uma ressonância, mas tudo indica que está tudo bem.
–Que horas são?
–Quase cinco da tarde.
–O que? Edward estou aqui há quase quatro horas?
–Você foi medicada amor. Estava sentindo dor. Pode não se lembrar mas você acordou logo que chegamos aqui.
–Ah é? E eu disse alguma coisa?
Dessa vez ele sorriu abertamente.
–Chamou por mim.
–E por quem mais eu iria chamar?
Ele beijou minha testa, mas logo se afastou pois o medico entrava no quarto. Disse que iria ligar para nossa família enquanto o médico conversava comigo. Estava tudo bem, mas ainda assim iria fazer uma ressonância. Como dizem: melhor prevenir do que remediar não é? Mas felizmente o exame não foi tão demorado quanto imaginei e quase uma hora depois eu saía do hospital nos braços de Edward. Mas ainda surgiu uma situação desagradável quando uma mulher que me viu nos braços dele se aproximou. Eu acredito que não foi por maldade, mas Edward não suportava certas palavras dirigidas a mim.
–Coitadinha... além de aleijada quebrou o pé.
Edward a encarou com tanta raiva que a mesma se afastou um pouco.
–Está vendo alguém digno de pena aqui para chamar de coitadinha? Eu só vejo uma pessoa e com certeza não é a que está em meus braços.
Ele me colocou no banco do carro e ajeitou meu cinto, mas se voltou para a mulher.
–E ela não é aleijada. É portadora de necessidades especiais.
Entrou no carro batendo a porta.
–Calma Edward.
–Calma... calma... odeio essas pessoas que sequer sabem usar a palavra correta para se referir a uma pessoa. Coitadinha... coitadinha é a …
–Edward!
Eu o interrompi novamente e acariciei seu rosto.
–Ja passou ok?
–Tudo bem. Desculpe-me por isso.
Tratei de mudar de assunto.
–Meu aparelho?
–Ja guardei no porta malas. Amassou um pouco assim como uma das muletas, mas enquanto você dormia eu levei a uma loja especializada e ele esta perfeito. Nem parece que sofreu avarias.
–Obrigada. Você sempre à frente de tudo.
–Eu não seria seu futuro marido se não fizesse isso.
Coloquei a cabeça em seu ombro, olhando meu pulso enfaixado. Eu que não seria nada sem ele.
–Vai me contar o que houve?
–Sim, mas só quando estivermos em casa.
–Tem a ver com o Mike não é?
–Sim. Como sabe?
–Eu o vi se afastando assim que você caiu. Obviamente não fui atras dele porque precisava olhar você.
Ele me encarou como quem dizia: mas na primeira oportunidade irei atras dele.
–Edward prometa que não vai...
Nem esperou que eu falasse e foi logo me cortando.
–Não prometo nada. Alguma ele fez e você poderia ter morrido.
–Exagerado.
–Exagerado nada. Poderia ter batido a cabeça e sofrido um traumatismo. Nem vem Bella...já estou decidido.
Torci os lábios numa atitude que mostrava minha contrariedade mas não falei nada. Mudamos de assunto e fomos falando como sempre sobre nossa casa, nossos planos, nosso casamento. Edward fazia parecer tudo tão simples.
Assim que Edward estacionou em frente a minha casa a família inteira saiu vindo preocupada até o carro.
–O que aconteceu?
–Oh meu Deus... está machucada.
–Edward... o que os médicos disseram?
–Ai... calma gente. Eu estou bem.
Meu pai fez menção de me pegar no colo mas Edward se adiantou.
–Deixe comigo Charlie. Eu mesmo levo minha princesa.
Balancei a cabeça sorrindo e ergui meus braços envolvendo seu pescoço. Entramos em casa e Edward me levou direto para o meu quarto, colocando-me com todo cuidado na cama.
–Tudo bem?
–Sim, mas acho que preciso de um banho.
–Como sei que você não irá permitir que eu lhe ajude... e é ate melhor para minha sanidade, eu vou para casa tomar meu banho também.
–Seu bobo. Você volta hoje?
–Lógico que sim. Daqui a pouco estarei de volta.
Mas antes de sair nos beijamos. Passei a mão em seu rosto, olhando em seus olhos.
–Obrigada.
–Eu cobro tudo isso em beijos depois.
–Devo e não nego.
Rimos e nos beijamos mais uma vez antes de ele se afastar. Assim que saiu Rose, minha mãe e Tanya entraram no quarto. Cada uma me pegando de um lado, verificando se estava tudo bem e falando todas ao mesmo tempo.
–Da pra parar gente? Eu estou bem. So uma torção no pulso e o pé quebrado.
–Mas como aconteceu isso filha? Quando Edward ligou ele disse que você caiu da escada.
–Sim. Eu...eu estava tentando me afastar do Mike.
–MIKE! Sabia. So poderia ser aquele desgraçado.
Rose quase gritou, andando pelo quarto.
–Ah mas ele vai se ferrar, porque quando ele aparecer na frente do Edward...
–Rose por favor, não dê ideias.
–E você acha que precisa? Edward não me parece ter sangue de barata não Bella. Ainda mais se tratando da princesa dele.
–Tanya está certa filha. E quer saber? Deixe que Edward cuide disso mesmo. Mike precisa ver que você está com um homem e não um moleque.
Com certeza eu nem poderia argumentar. Estava na cara que Edward estava anos há frente de Mike no quesito hombridade, atenção, humildade e tanta coisa que nem valia a pena ficar enumerando.
–Vamos parar com a conversinha então? Eu preciso tomar banho.
–Ah claro. Daqui a pouco o príncipe está de volta.
Tanya debochou e abriu meu armário procurando algo para eu me vestir. So sei que esse banho iria me dar trabalho, afinal eu não poderia molhar o maldito gesso. Minha mãe e Rose ajudaram-me a despir para que eu não me demorasse. Logo depois Tanya arranjou um plástico ou sacola, não sei bem, e envolveu meu pé. Ridículo.
Rose me ajudou no banho enquanto Tanya ia ajudar minha mãe a começar o jantar. Aposto que iam fazer algum prato preferido de Edward. Minha mãe adorava mimá-lo e isso me deixava feliz. Mais uma prova de que minha família o adorava.
Quando sai do banho com Rose Edward já tinha chegado.
–Vou escolher outra roupa Bella. Edward disse que se você concordar vocês irão sair para comemorar o noivado com nossos amigos.
Eu bem que deveria ter desconfiado disso. Deus... como Edward conseguia ser tão altruísta assim? Essa era a forma de ele me colocar pra cima e mostrar aos outros que não é qualquer coisa que me colocará pra baixo. Bom... pelo menos ele tem todas as armas para me colocar de pé.
–você vai Bella?
Sorri largamente.
–Lógico que sim. Não posso resistir ao pedido do “príncipe” não é?
Gargalhamos e as duas correram para me ajudar. Estava feliz. Isso era tudo.
********
O clima estava ótimo. Eu ria como nunca sentada no colo de Edward. Ele não parava de me beijar ou morder meu pescoço. Durante o percurso até o pub eu contei a ele o que Mike fez. Inutilmente eu tentei faze-lo entender que a culpa não era inteiramente de Mike. Eu que me distraia. Mas Edward insistiu que se Mike não tivesse ido falar merda comigo nada disso teria acontecido. Depois disso mudou o assunto, mas eu sabia que ele ainda iria ficar cara a cara com Mike.
Edward riu alto atraindo minha atenção. Jake fazia piadinhas sobre casamento o tempo todo.
–Você é muito idiota Jake.
–Mas é serio Edward. Ela tá boazinha assim porque tá apaixonada cara. Na hora que começarem os problemas cotidianos, ela vai dormir com essa maldita muleta no meio de vocês dois.
Eu ri alto, sendo acompanhada por Jéssica e pegando meu copo de cerveja.
–E quando bebe fica mais surtada ainda.
–Ah cala a boca seu perdigueiro pulguento.
–Hã? E é desbocada viu? Da tempo de mudar de ideia.
Os dois gargalharam mas logo Jake ficou sério olhando para o lado.
Segui seu olhar e congelei ao ver Mike parado ao lado de Lauren, olhando com visível desdém para nossa mesa. Edward rosnou segurando minha cintura com força.
–Calma Edward... não vá fazer nada.
Ele e Jake se entreolharam e falaram juntos.
–Não agora.
Ele já sabia o que aconteceu na escola, assim como Jéssica. Ela ficou tão enojada que fiquei temerosa de sua reação quando soubesse as coisas que Mike me disse no passado.
–vocês dois escutem bem. Não quero saber de molecagem ouviu?
Eles nada responderam. Simplesmente mudaram de assunto.
Pouco depois Emmett e Rose chegaram juntamente com Tanya. Alice não veio pois não queria “segurar” vela. E Jasper também não veio porque não queria a companhia de Maryah essa noite.
Conversávamos todos alegremente, a maioria falando sobre Edward fazer uma sala de jogos em nossa casa.
–Vou ao banheiro amor.
Ele falou me colocando na cadeira ao lado.
–Eu também vou.
Jake se colocou de pé e eu os olhei estreitando os olhos.
–Tem que ser juntos?
–Está com ciumes Bellinha? Sou espada ouviu?
–Espadachim não é Jake?
–Não interessa Emmett... mas sou.
Mas não me convenceu. Eu vi Mike se encaminhando para a saída e algo me dizia que os dois iam atras dele, uma vez que o banheiro ficava na mesma direção da porta de saída. Mas quer saber? Eles que são homens e fortes que se entendam. Eu que não vou ficar implorando para que não se peguem como moleques.
–Preocupada Bella?
Jéssica perguntou baixinho.
–você sabe que eles foram atras do Mike não é?
–Tenho quase certeza.
Fiz questão de marcar no relógio. Quase meia hora depois os dois voltaram com cara de paisagem. Jake colocava a camisa novamente para dentro da calça e Edward tentava ajeitar os cabelos.
–Adianta se eu perguntar por que demoraram?
Ele sorriu.
–Não.
–Você nunca esconde nada de mim.
–E não mesmo. Mas outra hora falaremos sobre isso.
Ele me pegou no colo novamente e eu o abracei.
–Sei que está só cuidando de mim.
Falei baixinho e ele me encarou. Aqueles olhos que pareciam enxergar dentro de mim sempre me deixavam sem chão.
–Eu queria te dizer uma coisa.
–Diga. Você está me olhando de um jeito que está me fazendo tremer.
–Medo?
–Não. Nem sei o que é.
Passei os dedos pelos seus cabelos, fazendo-o fechar os olhos rapidamente.
–Olha... Eu posso dizer que sou uma pessoas feliz. Tenho minha família e amigos incríveis como Jake e Jéssica que sempre estiveram comigo. Eu saía muito para me divertir com eles e até me esquecia dos meus “problemas”, por assim dizer. Apesar de muitas vezes eu ficar revoltada com minha vida, no fundo eu sei que existem milhares de pessoas piores do que eu. Acho que no fundo eu ficava revoltada principalmente por causa do lado sentimental.
Ele segurou minha mão com força.
–Por causa daquele maldito não é?
–Sim. Eu acreditava realmente que nunca poderia dar prazer a um homem, que nunca iria me casar e ter filhos. E então aconteceu você...
Sorri e mordi meus lábios.
–Você me faz sentir amada, desejada., importante. E principalmente me fez enxergar a força que eu tenho. Sei que existe muito preconceito e que eu irei cair muitas vezes. Mas eu nem me importo porque sei que você estará ao meu lado para me amparar. Você, às vezes, faz com que eu me esqueça completamente que não posso andar sem auxílio das muletas. Andar com minhas próprias pernas passou a ser irrelevante pra mim. Tudo o que me importa é caminhar ao seu lado.
Ele engoliu em seco, engolindo a saliva com visível dificuldade e eu não estranharia se ele chorasse agora.
–Então eu só queria dizer: obrigada. Obrigada por me amar e me fazer tão feliz.
Edward apenas colocou o rosto entre meu pescoço e meus cabelos e assim ficou por um tempo. Depois se afastou me olhando nos olhos.
–Obrigado por me fazer chorar.
Passei meus dedos em seu rosto e depois beijei por onde as lágrimas escorreram. Sentia todos os olhares em nós, mas eu estava presa demais a ele para me importar. Ele pegou a carteira e retirou algumas notas colocando-as na mesa.
–Eu preciso sair daqui com você agora.
Apenas acenei para os nossos amigos que já tinham entendido tudo. Passei os braços em volta do seu pescoço e me deixei levar... só não sabia pra onde. E nem me importava.


Confira todos os capítulos postados AQUI



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário