sexta-feira, 4 de maio de 2012

Como e por que Robert Pattinson foi escalado pra ser Eric Packer em ‘Cosmópolis’


ROBERT PATTINSON, ERIC PACKER, EM COSMOPOLIS – Em ‘Cosmópolis’, Eric Packer é um jovem egoísta, membro da classe dominante, no topo dos 1% super ricos. Ele é um anti-herói cuja privilegiada realidade é decadente e isolada. Selecionar Robert Pattinson em seu papel antipático não foi óbvio. O super-estrelato de Robert talvez lhe dê alguma dica da pressão do sucesso, mas suas pressões incluem a atenção de uma base de fãs zelosos, que poderia esperá-lo em um papel diferente. E ele é mais jovem do que fora imaginado ser Eric Packer, uma diferença de idade que influencia no restante do processo de seleção de elenco. Por outro lado, bilionários mais jovens e comerciantes tecnológicos não são tão incomuns na sociedade de hoje. Além disso, a escalação de Robert apresenta uma oportunidade para atrair uma nova geração para o trabalho de David Cronenberg.
 Finalmente, a escolha foi baseada no talento e experiência de Pattinson, com ou sem fama. Cronenberg encontrou um Robert maduro e disposto a se desafiar: ‘… Rob não está iludido com a fama, ele entende que a popularidade não é a essência de ser um bom ator, e reconhece o perigo de levar em frente projetos para agradar aos outros em vez de si mesmo’. Trazer o egomaníaco Eric Packer a vida, exige que Pattinson se esqueça de ser um personagem simpático.
Cronenberg observa, ‘Alguns atores se preocupar em não ser atraente ou sensível, mas isso nunca foi um problema para o Rob, ele sempre tentava encontrar a verdadeira realidade de quem é Eric, e o significado de ser um milionário em 25 anos idade… Rob é incrivelmente amigável, mas não precisa ser amado’. Então Eric Packer, um deus das finanças, talvez sem alma, mas com pés bem firmes na terra, é feita pelo carismático e modesto Robert Pattinson.
Robert ficou surpreso e emocionado com a oferta de ‘Cosmópolis’. Ele contou que recebeu o roteiro um ano antes e pensando que era ‘um dos roteiros mais originais’ que ele tinha lido. No entanto, ele duvidava que conseguisse o papel: ‘Então, a oferta veio do nada e eu fiquei maravilhado!’, elogiando o trabalho consistente de David como ‘instigante’ e inovador, Robert disse estar confiante sobre o papel, no entanto ele admite, ‘Eu não tinha idéia de como ia interpretar… Eu estava com medo no início, especialmente porque eu poderia interpretar o roteiro e interpretar de várias maneiras diferentes’. Ele não teve muito tempo com David antes da gravação, mas eu sabia que estava em boas mãos. Sua confiança no diretor, assim como David tinha em Rob, foi bem fundamentada. ‘Eu podia sentir David moldando como filmamos, e isso me deixou muito confortável, pois significava que não havia nenhum modo especificamente certo ou errado. Com o tempo, eu estava muito relaxado, principalmente nas partes mais intensas’.
Pattinson queria um projeto que pudesse levá-lo a seu limite, e ‘Cosmópolis’ força o personagem a isso. Eric Parker é incompreensível e contraditório, como calculista e imprudente. Robert teve que encontrar o centro emocional de um homem que é insensível, um homem que interpreta o mundo em termos de números e aquisições. Roberto diz, ‘Eu acho que Eric tem um ego super valorizado ’. Ele vive uma existência artificial, e o sucesso de Eric parece ser produto da fria e desprendida racionalidade. No entanto, sua estranha missão atrás de um corte de cabelo é arriscada e irracional. Ele geralmente faz com que as pessoas venham até ele, incluindo um médico para exame de rotina, mas ele insiste em ver um barbeiro à moda antiga no lado oposto da cidade, apesar dos riscos a sua segurança pessoal.
Rob observa o entendimento de seu personagem em eventos contemporâneos, comércio e política. O conhecimento de mundo de Eric Packer, no entanto, vem principalmente por meio da tecnologia, e ele vê a maioria das coisas como simples informação, ‘uma espécie de lista ou matriz’, Rob sugere, sobre o qual ele é imparcial. Rob descreve Eric ‘Olhando para a tela, indicando os dados atuais o tempo todo. Eu acho que ele acaba tomando medidas drásticas, apenas para sentir alguma coisa, porque ele se tornou muito insensível’. Ele conhece, e de alguma forma até possui, muitas pessoas, mas parece não ter amigos. Até mesmo a esposa dele é distante, uma aquisição, uma pessoa para usar ou ignorar. Ele é o mestre do seu universo, mas ele está solitário no topo? Ele se importa? O enigma do personagem Eric é central para o filme, e sua interação com personagens secundários, formam o quebra-cabeça, e talvez, dá pistas para resolvê-lo.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário