terça-feira, 3 de abril de 2012

FANFIC - Sol&Chuva - Capítulo 32



Capítulo 32



POV



O cheiro doce e enjoativo de vampiro nos alcançou queimando meu nariz. Os recém-criados alcançaram o fim do rastro e sentiram o cheiro dos Cullens na clareira, então, agora eles estavam se separando em dois grupos, assim como Alice havia previsto. Sam começou a nos guiar pra começar a emboscada. O primeiro grupo entrou na clareira. Nós podíamos ouvir a luta.

Avistamos o segundo grupo. Eles não estavam prestando atenção, eles ainda não tinham nos ouvido.

Sam deu mais um passo a frente.

Agora

Um dos recém-nascidos sentiu o nosso cheiro e eu o derrubei antes mesmo que ele pudesse se virar. Sam me ajudou a acabar com ele. Paul e Jacob pegaram outro, mas agora os outros estavam na defensiva. Eles não tinham idéia do que fazer conosco. Os dois lados estavam se defendendo... Jacob se atravessou na minha frente parando o ataque de um deles contra mim.

Separe eles. Não deixem que eles protejam as costas um do outro, – gritou Sam. - levem eles em direção à clareira!


Seth, cuidado!
– minha respiração se cortou . Seth ainda estava no acampamento com Edward e Bella quando farejou um cheiro forte de um vampiro conhecido.

Victoria está no acampamento! – a voz apavorada de Jacob soou na minha cabeça.

Jacob, foco aqui. Edward está lá. – ordenou Sam.

Victoria sentiu o cheiro de Edward , enquanto seguia os recém-criados pra assistir, achando que Bella estaria onde Edward estivesse. Mas ela não estava sozinha. Tinha um outro vampiro mais novo, mas não tanto quanto os que agora nós estraçalhávamos.

Você estava certa, . Sempre foi Victoria.– disse Jacob. Nós tínhamos encurralado só últimos vampiros, nossos pêlos arrepiados, os dentes amostra.

Victória e o outro vampiro tinham encurralado Edward e Bella enquanto nós acabávamos com o restante dos que estavam na floresta. Na montanha Seth surgiu por trás dos dois vampiros e se jogou, despedaçando e estraçalhando o vampiro loiro embaixo dele. Edward atacou Victória.

Um dos vampiros dos nossos escapou do cerco correndo por entre as árvores. Leah partiu atrás dele.

Espere pelos outro, Leah – ordenou Sam, mas ela não obedeceu. E Jacob partiu correndo atrás dela. Eu arranquei a cabeça do vampiro que estava embaixo das minhas patas deixando para que os outros terminassem o serviço, e parti atrás deles.

O recém-criado estava se escondendo e Leah o encontrou, ela estava sendo estúpida, convencida, tentando provar que era boa o suficiente. Cercou ele sozinha. Jacob chegou no momento em que ele avançava pulando para cima de Leah. Ele tirou ela do caminho, mas não teve tempo de defender a sí mesmo. O recém-criado passou os braços ao redor dele. Quebrando a maioria dos ossos de seus lado direito.

Eu cheguei bem na hora, pulando nas costas do vampiro mordendo sua cabeça e o arremessando contra uma árvore que rachou com o impacto. Sam e Paul chegaram segundos depois de mim, avançando sobre o vampiro terminando o serviço. Mas eu não prestava mais atenção, Jacob estava jogado no chão inconsciente, forcei as minhas patas a se moverem, meu coração em chamas, uma dor insuportável fechava minha garganta. Rocei meu focinho no dele, sua respiração estava ofegante, mas nenhum pensamento seu chegava até mim.

Jake Jake, meu amor . Por favor Jake... – eu não tinha lágrimas mas a dor era cortante.

Juntem todos os pedaços e levem para a fogueira rápido, temos que levar Jacob daqui – ordenou Sam para os outros – Calma , ele vai ficar bem

Mas eu não ouvia nada, só via Jacob na minha frente inerte, queria me afundar no seu pêlo vermelho. Fazer com que a dor dele passasse para mim porque eu não podia permitir que Jacob sofresse.

...

Shh, Jake, estou aqui


Os Cullens já estavam em nossa volta.

- Levem ele de volta para La Push. Eu vou para lá assim que terminar por aqui.- falou Carlisle.

- Vamos Jake, você tem que se transformar, cara! – Embry e Quil já haviam se transformado e estavam tentando levantar Jacob.

Sam chegou transformado e se juntou aos outros que também estavam ajudando.

Eu sabia que tinha que me transformar, nós tínhamos que voltar a La Push rápido. Antes da luta, Alice viu que os Volturi, a guarda real dos vampiros, estavam chegando para interceder nos ataques dos vampiros recém- criados. Eles vinham somente para limpar a bagunça. O que naturalmente nós já tínhamos feito..

- Vai , ele vai ficar bem! – Sam falou olhando bem dentro dos meus olhos e eu assenti. Jacob já tinha se transformado e agora era carregado pelos outros para casa. Sai correndo pela floresta até o lugar em que minhas roupas estavam e me transformei.

Cheguei correndo na casa dele segundos depois dos garotos carregando Jacob. Os gritos dele eram ouvidos a distância. Aquilo era como facas apunhalando meu peito. Charlie, pai de Bella, estava ao lado de Billy. Empurrei os garotos tentando abrir espaço e eles se afastaram me dando passagem para eu poder chegar na cama onde Jacob tinha sido colocado.

- Jake?-Ele abriu os olhos e me encarou mas logo baixou de novo o olhar.- eu peguei sua mão esquerda que não estava quebrada. - Jake? Você vai ficar bem, não se preocupe.

Carlisle chegou com Edward e eu me levantei para sair do quarto, mas Jake não me soltou.

- Não! – ele pediu me olhando com olhos agoniados, sem soltar a minha mão.

- Eu não vou embora! – afirmei

- Jacob, eu preciso te examinar! – Carlisle falou abrindo uma maleta com instrumentos médicos.

Jacob relaxou a mão e eu me posicionei no canto do quarto tentando não atrapalhar, somente saindo de lá quando ele estava totalmente sedado. Ele não tirou os olhos de mim em nenhum momento.

Eu sai do quarto e sentei no chão ao lado da cadeira de Billy ele pousou a mão na minha cabeça. A pequena sala de Billy, estava abarrotada com todos os garotos jogados pelo sofá e pelo chão. Foi só depois que Charlie foi embora que Bella passou correndo pela porta e entrou no quarto, mal cumprimentado o pessoal. Eu nem levantei a cabeça, não conseguia enxergar nada por causa das lágrimas. Billy apertou a mão que estava no meu ombro.

Só voltei a levantar os olhos quando Carlisle apareceu na porta.

- Jacob esta se curando rápido. não há necessidade de gesso. Ele vai dormir algum tempo por causa do sedativo.

- Muito obrigada, Doutor! – agradeceu Billy.

Eu dobrei as pernas e enrolei meus braços nela, escondendo meu rosto. Por mais que me dissessem que ele iria melhorar eu só poderia me convencer depois que visse seu sorriso de novo. Uma lembrança me voltou no pensamento. Antes da luta, antes de Jacob voltar do acampamento, Bella confessou para ele que aceitou se casar com Edward. Eu vi pelas lembranças de Jacob a dor que isso causou a ele. E isso abriu um buraco maior no meu peito. Eu não agüentava mais. Meu pai chegou e me puxou para um abraço. Eu estava sem ar, eu não conseguia respirar. Sai correndo pela porta com Embry atrás de mim.

Embry me alcançou.

- , calma garota, você no ouviu o Doutor Drácula, lá? Ele vai ficar bem!

Me abracei em Embry sem poder mais conter as lágrimas. Embry me fez sentar na varanda e ficou comigo até que as lágrimas secaram. Carlisle, Edward e Bella passaram por nós em direção ao carro, mas senti Edward hesitando olhando em minha direção. Que estranho eu nunca pensei que teria compaixão por um vampiro, mas sabia o que Edward devia ter passado, ele baixou os olhos e suspirou, se virando logo em seguida e indo embora.

Leah se aproximou de nós.

- Posso falar com você um instante, ?- olhei para Embry que me deu um beijo na testa se levantou e saiu.

- Pode, claro Leah. – me arredei indicando que ela se sentasse ao meu lado.

- , eu... eu sinto muito! – eu arregalei os olhos, nunca tinha visto Leah demonstrar fraqueza por ninguém! A não ser por Sam, é claro!

- Claro, Leah que isso! – mas eu não estava com vontade de conversar. Ela passava a mão pela recente cicatriz do rosto que a desfigurara. – Sabe, a vida não é fácil para uma garota lobo por aqui! – ela riu e depois me olhou surpresa.

- , você não está pensando em ir embora está? – eu dei de ombros.- Pense em Jake, ele vai precisar de você agora. – eu ri sem humor. Pensar em Jake era só o que eu fazia.

Leah, nunca tinha se aberto comigo, a não ser aquela loucura toda que ela compartilhava mentalmente com a gente. Sempre jogando na cara de Sam as juras que ele fizera a ela, antes de ter um imprinting com Emily. Mas eu sentia pena dela, ela nunca ficaria com o homem que ama. É existem histórias piores que a minha.

Estendi a mão para Leah.

- Trégua?

- Trégua.

Meu pai colocou a cabeça para fora da casa de Billy.

- , Jake acordou! E está te chamando.

Eu abri a porta e me inclinei pra dentro hesitantemente.

Jacob estava esperando por mim, seu rosto estava calmo e suave.

A aparência desfigurada, abatida, tinha desaparecido, mas apenas um vazio cuidadoso estava em seu lugar. Não havia nenhuma animação em seus olhos escuros.

Eu entrei e fechei a porta baixinho atrás de mim.

–Jake – eu murmurei. Ele abriu o meu sorriso de sol por um breve momento,mas depois seu rosto apagou e ficou sério de novo.–Jake?- Entrei no pequeno quarto e me ajoelhei ao lado de sua cama pequena demais para todo o seu tamanho.Ele estava coberto de faixas e ataduras por todo o corpo, aquela visão me doeu na alma. –Algum problema? Você está com dor? – Revirei os remédios da mesinha ao lado da cama a procura de algum analgésico.

Ele olhou pro meu rosto por um longo momento. Aí, com algum esforço, ele rearrumou a sua expressão em um sorriso levemente zombeteiro. – Não eu estou bem! Um pouco chapado. O Dr. Presa não tem certeza de quanta medicação eu preciso, então ele está na base da tentativa e erro. Eu acho que ele se excedeu.- Ele me olhou novamente sério. –É, eu meio que pensei que você estaria brava comigo.- Ele suspirou. –Estava esperando pela bronca.- Ele fez cara de criança que sabe que fez arte.

Eu suspirei aliviada –Ah Jake, você sabe que eu não estou brava com você.- Murmurei. Eu realmente não estava brava, Jacob não tinha culpa dos sentimentos dele.

–É que eu fui um idiota!-. Ele disse sério.

–Mas com isso eu já estou acostumada.- Ele riu.

O humor torto desapareceu do rosto dele, e os olhos dele se aqueceram. A testa dele enrugou, preocupado. – Sério . Eu sei que te magoei de novo.- Ele passou a mão no meu rosto.

– Eu só queria que você tivesse me avisado, fiquei preocupada.

–É, isso era o certo.- Ele pensou por um instante depois abriu um pequeno sorriso. –Acho que queria adiar a bronca.

– E depois achou outro jeito para isso.- Apontei os seus ferimentos. Ele riu novamente, mas logo ficou sério de novo e começou a desenhar as linhas do meu rosto com o polegar. Eu ofeguei com o toque.

Ele trocou seu peso, jogando a sua perna boa pra fora da cama como se ele fosse tentar ficar de pé.

–O que você está fazendo?- eu perguntei arregalando os olhos. –Deite, seu idiota, você vai se machucar! eu pulei pra ficar de pé e empurrei o ombro dele com as duas mãos.

Ele se rendeu, se encostando de novo com um gemido de dor, mas ele agarrou a minha cintura e me puxou de volta para a cama, contra o lado bom dele. –Vem aqui– Ele me puxou para mais perto. Eu fazia esforço para me apoiar na cama e não tocar em nada quebrado.

– Não Jake, você está todo machucado!

–Você não vai me negar um beijo, vai?

–Você é um monstro, sabia?- Falei me inclinando sobre ele o mais devagar possível. O beijo começou calmo, mas Jacob aumentou a intensidade forçando meus lábios a abrirem passagem para que sua língua quente invadisse a minha boca. Sua mão boa foi para a minha nuca me puxando para mais perto. Respirei fundo e tentei aliviar o beijo. Jacob não deixou. Ele apertou mais sua mão na minha nuca.

Para o meu total desespero, ele se inclinou na minha direção e daí gemeu de dor. Eu me afastei dele apavorada. –Jake, Jake! Me desculpe!- senti meus olhos encherem de lágrimas.

Seu rosto contorcido pela dor aliviou e um sorriso enorme se abriu em seu rosto. –Eu não desculpo! Não mandei você parar!- ele disse rindo.

–Cala boca, Jake! Para com besteira! E vê se fica quieto, você quer ficar todo torto?

Ele fingiu pensar por um instante. –Acho que vale o preço!

–E eu acho que você tem que dormir! Já tá falando besteiras!- sentei do lado da cama e comecei a pentear seus cabelos curtos com as pontas dos dedos. Ele fechou os olhos, aos pouco seu rosto foi suavizando e relaxou caindo em sono profundo.

–Billy, você comeu alguma coisa decente hoje?- Perguntei a ele enquanto abria as portas dos armários da cozinha, a procura de algo que poderia se transformar em um jantar.

–Não, mas não se preocupe com isso querida! Sue trouxe peixe frito, eu esquento depois.

–Deixa que eu faço isso para você, Billy! Eu vou aproveitar e fazer uma sopa para quando Jake acordar!

–Você está nos mimando demais, ! Vamos ficar mal acostumados!

–Você dois são tão lindos que é impossível não mimar.- Billy riu da minha piada sem graça.

Uma caminhonete roncou alto parando na frente da casa de Billy, que me lançou um olhar sério antes de ir abrir a porta. De cara eu imaginei quem seria.

Uma batida baixinha soou na porta.

–Entre, Bella–, Billy disse.

Bella entrou sem jeito.

–Hey, Billy. Ele está acordado?- ela perguntou, foi quando subiu o olhar e me viu ficando sem jeito. Hm, será que ela sabia que eu era?

–Ele ainda está dormindo, Bella.- respondeu Billy cuidadosamente.

Bella fazia parte da vida de Jacob, ou eu aceitava isso ou quem deveria se afastar dele. Quais das duas opções iria seguir, eu ainda não havia decidido.

–Olá Bella. – cumprimentei por educação.

Ela arregalou os olhos ainda hesitando na porta. –Oh! Olá!- respondeu.

–Bella, acho que você ainda não conhece a , a namorada de Jake!- Billy me apresentou, me fazendo corar.

Como ela não dizia nada, eu sorri e larguei o pano de prato que segurava na mesa. –Sente Bella, daqui a pouco ele deve estar acordando!- ela sentou em um canto do sofá, totalmente sem jeito. Sorri e fui para cozinha esperar a comida ficar pronta. Fazer sala estava além do que meu autocontrole permitia.

Um chamado agudo, típico das crianças Quileute soou ao longe. –Os garotos estão chegando!- concluí. –––È melhor eu deixar o peixe pra lá e fazer outra coisa.

–É melhor eu esconder o peixe, senão não sobra nada!- Billy saiu empurrando sua cadeira em direção a cozinha.

Em segundos a pequena sala de Billy foi tomada por oito brutamontes sem camisa seguido por vários “Hey, Billy!”, “E ai, ?””Hmm, comida”, Leah seguia atrás meio que escondida. Só então eles notaram a presença de Bella, quase imóvel encostada no braço do sofá. Todos me encararam ao mesmo tempo.

–E aí, vocês estão com fome?- indaguei rindo, tanto da minha pergunta idiota quanto do jeito que eles me olhavam. Todos relaxaram, Quil e Jared entraram na cozinha pegando latinhas de refrigerantes da geladeira e as arremessando para os que estavam na sala. Que eram pegas no ar sem dificuldades. –Não mexe na panela, Quil ou te arranco a mão! Já vai ficar pronto!- ele saiu rindo. –Vocês podem por favor tentar não fazer barulho, Jake está descansando.

–Claro!- Paul respondeu depois de soltar um arroto que estremeceu a casa. Levando varias almofadadas na cara. –Hey, vocês me fizeram derrubar refrigerante na minha camisa!

?-Jacob chamou do quarto.

–Vocês me pagam por essa!- Falei em geral, mas olhei principalmente para Paul,que engoliu em seco.

Espiei pela porta sem fazer barulho, Jacob ainda estava de olhos fechados mas abriu o meu sorriso de sol. –Jake?- ele abriu os olhos, –Como você está se sentindo?

–Bem, já nem sinto dor!- ele levantou o braço enfaixado. –Acho que amanhã não vou mais precisar disso!- eu sorri, nessas horas era bom ser um lobisomem.

–Jake! A Bella está aqui, ela quer falar com você!

Ele pensou por um instante me olhando sério e balançou a cabeça concordando.

Sai do quarto fechando a porta atrás de mim. –Bella, ele esta esperando por você.

Ela vacilou e respirou fundo. –Obrigada. – me disse.

Bella hesitou na porta do quarto de Jacob. Ela abriu a porta entrando devagar fechando a porta atrás de si.

O silêncio da sala era imenso, só a respiração de Billy e dos garotos eram ouvidas. Todos me encaravam.

Eu entortei um pouco a cabeça, serrando um pouco os olhos para fazer uma cara de brava que eu quase não conseguia manter no rosto por causa da risada que queria escapar. –Agora você fazem silêncio! Bando de vira-lata!- Montes de almofadas bateram na minha cara. Eu ri. –Sério, você vão arrumar isso!

–Olha quem já tá mandando na casa!- apontou Collin. Todos riram me fazendo corar.

–Billy, a comida tá pronta. Eu vou em casa trocar de roupa e já volto. Só por favor cuida para que esse monte de cachorros esfomeados deixem algo para o Jake.- Falei me virando para ele que ainda ria.

–Claro, querida não se preocupe!








Reações:

0 comentários:

Postar um comentário